Manifestações populares contra a farsa eleitoral

95/02.jpg
95/02.jpg

Manifestações populares contra a farsa eleitoral

Print Friendly, PDF & Email
95/02.jpg
Manifestação de estudantes em Rolim de Moura, Rondônia

Nas últimas semanas, novos comitês e organizações de denúncia da farsa eleitoral têm surgido em todo o país: em Rondônia, Minas Gerais, Goiás e Espírito Santo.

Belo Horizonte – MG: agitação em praça convoca a não votar

O Comitê Contra a Farsa Eleitoral de Belo Horizonte e Região realizou, no dia 23 de agosto, a sua primeira panfletagem. O local escolhido para a agitação do Comitê foi a Praça da Estação, localizada na região central da capital mineira.

Ativistas do Comitê convocaram a população através de um carro de som a boicotar as eleições. Os oradores dirigiram-se à população denunciando a farsa eleitoral e conclamando o povo a se organizar e lutar.

Populares se aproximaram do carro de som e manifestaram seu apoio à posição defendida pelo Comitê. Fizeram também suas denúncias e se animaram com a propaganda do caminho da organização popular e da revolução para o povo conquistar uma nova democracia.

O Comitê Contra a Farsa Eleitoral de Belo Horizonte e Região criou um blog para divulgar seus materiais e atividades na internet: boicoteaseleicoes.blogspot.com.

Por um programa de transformações revolucionárias

Trecho do boletim do Comitê Contra a Farsa Eleitoral de BH e Região

De 2 em 2 anos a burguesia encena um teatro: candidatos aparecem sorridentes e cheios de atenção para com o povo, prometem o céu, fazem de tudo para obter votos. Depois de eleitos só agem em favor dos grandes grupos econômico-financeiros, dando as costas para os pobres. Se o povo só consegue alguma coisa com luta para conquistar melhores dias é preciso acabar com esse sistema de dominação que suga o nosso trabalho e as riquezas do país em prol de uma minoria de parasitas locais e estrangeiros.

Os partidos eleitorais que digladiam entre si por abocanhar o Estado não são mais que facções do Partido Único das classes dominantes exploradoras. A maior prova disto foi a chegada do PT no governo: tudo que antes apregoavam jogaram no lixo vestindo a casaca dos exploradores. É tudo farinha do mesmo saco! Aqueles que se dizem de “esquerda”, mas que participam desse farsante e corrupto processo eleitoral ajudam a manter esse sistema de exploração e violências sobre o povo.

Essa é a velha democracia: ditadura para os pobres, exploração, violências e sofrimentos. Democracia mesmo só para os ricos imperialistas, grandes burgueses e latifundiários, para explorar à vontade e reprimir a ferro e fogo quando o povo se levanta.

Propagandeiam que eleição é democracia e que o voto é a maior arma do povo e o principal direito seu, no entanto o voto é obrigatório. Em verdade, votar é avalizar e legitimar toda essa podridão. Para acabar com esse sistema de exploração há que começar por boicotar essa farsa. Ao contrário de votar, vamos nos Organizar e Lutar! Nos Organizar nos locais de trabalho, de moradia, escolas e universidades, na cidade e no campo, lutando por mais direitos, melhores salários, melhores condições de trabalho, por melhorias nos serviços públicos de saúde e educação, por moradias, obras de saneamento, previdência social pública, transporte decente barato!

Vamos repudiar e derrotar as direções pelegas que ocupam postos nos sindicatos e organizações de defesa da população e só fazem o jogo dos patrões e do governo. Vamos criar e desenvolver organizações classistas e combativas. Mais que isto, lutar por um verdadeiro Programa de Transformações Revolucionárias e pela construção desde o seio das massas operárias e camponesas do Partido Revolucionário de Novo Tipo para as revoluções de Nova Democracia e Socialista.


Goiânia – GO: a farsa das eleições em debate

Em 27 de agosto, na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás, o Comitê Contra a Farsa Eleitoral de Goiânia promoveu o debate: A farsa das eleições.

O debate contou com a participação do professor Fausto Arruda, membro do conselho editorial de A Nova Democracia, estudantes, professores e ativistas do movimento popular.

O professor Fausto fez uma exposição sobre o sistema parlamentar eleitoral, diferenciando a democracia burguesa e a democracia popular, denunciou a farsa eleitoral como instrumento das classes dominantes.

No informe sobre essa atividade, enviado à redação de AND, o Comitê Contra a Farsa Eleitoral destaca: “A partir do momento em que se opta por participar do processo eleitoral, está se referendando a manutenção do sistema capitalista, do status quo. Nesse aspecto, temos dois caminhos: manter a ordem, eleição; ou transformar a ordem: revolução. Se nos enveredamos no caminho das eleições estamos optando por manter a ordem, já que, historicamente, com Jango no Brasil e Allende no Chile, foi comprovado que não é possível sequer fazer reformas radicais dentro desse sistema, que dirá transformá-lo radicalmente.

Se optarmos por transformar a ordem, isso demandará a construção de partido revolucionário que não participe de eleições burguesas”.


Rolim de Moura – RO: estudantes denunciam aumento de vereadores

 Centenas de Estudantes da rede pública de Rolim de Moura lotaram a Câmara Municipal no dia 21 de agosto para protestar contra o aumento abusivo do salário de vereadores que, se aprovado, passará a ser de R$ 8.000,00.

Palavras de ordem foram entoadas denunciando os vereadores e convocando a população a não votar nas próximas eleições municipais. Após os vereadores se retirarem pelos fundos, a manifestação se estendeu pelas ruas. O protesto contou com a presença de entidades estudantis e professores da UNIR, funcionários da rede pública estadual e municipal. O que se viu no centro da cidade foram gritos de “Eleição é farsa, não muda nada não, o povo organizado vai fazer revolução”, “Vereador, tome cuidado, tem estudante revoltado” e “Cresce, cresce por todo o Brasil, o novo Movimento Popular Estudantil”.

Comerciantes aplaudiram a iniciativa dos estudantes. Uma campanha de finanças pede que populares se comprometam a ajudar o movimento, já que os estudantes só tinham um megafone na manifestação e necessitam de faixas e carro de som. Na rua, de forma organizada, os estudantes criaram um cordão de isolamento de ciclistas para auxiliar o trânsito e evitar acidentes. “Não precisamos de policiais aqui, afinal a polícia só aparece pra reprimir. Sabemos nos organizar sozinhos”, enfatizou um jovem que estava de bicicleta.

O movimento que iniciou no dia 20 de agosto na escola Cândido Portinari se estendeu para outras escolas e categorias.

O massivo protesto, vanguardeado pelos combativos estudantes secundaristas, animou amplos setores da população, que têm respondido com entusiasmo à convocação para novos protestos.


A farsa das eleições

Publicado em comiteantifarsa.blogspot.com no dia 4 de agosto

Muitos cidadãos brasileiros, trabalhadores que, com muito esforço, suor e dedicação constroem a riqueza desta nação, há muito tempo estão decepcionados com a condução que vem sendo dada aos rumos da nossa política.

O cidadão participa do processo eleitoral, cumpre com seu “dever”, acredita que o sistema eleitoral tem a capacidade conduzir seus legítimos representantes aos seus devidos cargos e o faz com toda boa fé.

 Mas as decepções vêm se sucedendo ano após ano. Este mesmo cidadão trabalhador não se vê representado por aqueles a quem ele deu seu voto.

Por isto mesmo e por muitos outros motivos vem crescendo no Brasil vários movimentos propondo o boicote às eleições e/ou o voto nulo.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: