Notas nacionais

https://anovademocracia.com.br/98/07-c-Brigada.jpg
https://anovademocracia.com.br/98/07-c-Brigada.jpg

Notas nacionais

Print Friendly, PDF & Email

RS: jovens enfrentam a Brigada Militar

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/98/07-c-Brigada.jpg
Brigada Militar agride estudantes contrários a privatizações

Na noite do dia 4 de outubro, centenas de estudantes de Porto Alegre realizaram uma manifestação no centro da cidade contra a privatização de locais públicos. O protesto foi convocado pelas redes sociais.

Os manifestantes conseguiram derrubar as grades de proteção que cercavam o mascote da Copa do Mundo, que foi derrubado em frente ao Mercado Público. A Brigada Militar atacou covardemente os jovens com bombas de efeito moral, balas de borracha e cassetetes.

Cerca de 30 manifestantes ficaram feridos. Do lado da repressão, cinco policiais militares e um guarda municipal também se feriram.

Brasília: greve no estádio Mané Garrincha

No dia 5 de outubro, os operários terceirizados cerca de 500 trabalhadores responsáveis pela instalação elétrica do estádio Mané Garrincha, em Brasília, deflagraram greve.

Esse estádio sediará a estreia da Copa das Confederações da Fifa em junho do ano que vem.

Em 9 de outubro foi registrado o terceiro “acidente de trabalho” em menos de cinco meses nas obras do Estádio Mané Garrincha. O ajudante geral Alex Lopes Alves, de 30 anos, foi atingido por um pedaço de madeira e quebrou o braço.

Outros dois acidentes já ocorreram na mesma obra. Em junho, um operário morreu ao cair de uma altura de 50 metros e em agosto cinco trabalhadores ficaram feridos devido a queda de uma viga.

Em setembro, o Ministério Público do Trabalho já havia dado ultimato ao consórcio Brasília 2014, responsável pela obra, que aplicaria multa em caso de novos acidentes. Desde o início das construções do estádio, em 2010, já foram registrados 30 acidentes nessa obra.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: