PEC 215/2000: um ataque contra os povos indígenas

PEC 215/2000: um ataque contra os povos indígenas

Print Friendly, PDF & Email

Nas edições anteriores do AND, divulgamos as denúncias dos povos indígenas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215/2000, que é um incremento das políticas antipovo do velho Estado para atacar e impedir a demarcação dos Territórios Indígenas. A recente aprovação da proposta na comissão especial da câmara provocou nova onda de manifestações em todo o Brasil por parte dos povos indígenas.

Em Palmas (TO), na noite do dia 29/10, cerca de 200 indígenas ocuparam a Arena Verde — palco dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas — e interromperam as competições, manifestando-se, com cartazes e palavras de ordem, contra o genocídio indígena, a expropriação das terras ancestrais e a aprovação da PEC 215.

Na região metropolitana de Curitiba (PR), os povos indígenas Kaingang e Guarani-Mbyábloquearam, em 03/11, um trecho da BR-277, na altura de São José dos Pinhais, em protesto contra PEC 215, pelo fim do genocídio indígena e pela demarcação das terras tradicionais na região Sul do país.

No dia 04/11, em Brasília (DF), cerca de 20 índios Kayapós do Sul do Pará e Mato Grosso protestaram em frente à entrada principal da Câmara dos Deputados contra a aprovação da PEC. No mesmo dia, em Canarana (MT), indígenas do Parque Indígena do Xingu (PIX) também protestaram. Em Rio Branco (AC), indígenas de 16 diferentes povos ocuparam as ruas da capital do estado, terminando o ato na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

Em 05/11, em Manaus (AM), cerca de 200 indígenas realizaram manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Em Brasília, no dia 09/11, cerca de 200 indígenas bloquearam trecho da BR-40 protestando contra a aprovação da PEC e exigindo a demarcação de suas terras ancestrais, que estão paralisadas na gerência oportunista de Dilma/PT/pecedobê/PMDB.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: