Professor é despejado pelo Estado fascista indiano

https://anovademocracia.com.br/103/19a.jpg
https://anovademocracia.com.br/103/19a.jpg

Professor é despejado pelo Estado fascista indiano

Print Friendly, PDF & Email
http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/103/19a.jpg
Professor Saibaba teve retirada sua assistência na universidade

Na Índia, o Exército Guerrilheiro Popular de Libertação – EGPL, dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Maoísta), segue rompendo amarras e avançando com a Guerra Popular contra o Estado reacionário indiano. Com isso, notórios defensores dos direitos do povo na Índia têm sofrido severas perseguições do recém-empossado gerenciamento Pranab. Entre eles está o professor de Literatura Inglesa da Universidade de Nova Déli (Ram Lal Anad College), G.N. Saibaba.

Saibaba é portador de deficiência física decorrente de uma poliomielite na infância. Após vários anos lecionando em Déli, em 2008, ele conseguiu assegurar o direito à residência adequada à sua deficiência no campus da universidade, o que foi fundamental para que ele concluísse seu doutorado e tivesse condições de dedicar-se melhor às suas atividades de professor e pesquisador. Em dezembro de 2012 a direção da universidade iniciou um processo para expulsá-lo de sua residência, alegando supostas razões técnicas de que ela não estaria nos padrões adequados e sem oferecer nenhuma alternativa.

Por razão de seu despejo da universidade, vários movimentos e figuras progressistas na Índia fizeram uma petição pública encaminhada ao ministro do desenvolvimento de recursos humanos, Dr. M. M. Pallam Raju, exigindo a revogação dessa covarde decisão. Abaixo, um pequeno trecho do documento.

Nós, que assinamos essa petição, fomos surpreendidos ao saber que a Universidade de Nova Déli anuncia a interrupção dos serviços prestados aos professores com deficiência física. Usando de argumentos técnicos, a direção da universidade quer forçar o despejo de um professor com deficiência e ignorar os avanços nacionais e internacionais, já assegurados por lei, em benefício dos deficientes físicos. Essa é uma triste realidade em se tratando de uma das principais universidades da Índia. Em quaisquer circunstâncias, as autoridades universitárias devem garantir a acomodação especial concedida ao Dr. G.N. Saibaba e não podem ignorar as condições específicas decorrentes de sua incapacidade locomotora.”

Em 2012, o professor Saibaba participou de conferências nas universidades de Londres, Oslo, Rio de Janeiro, Atlanta, Atenas, dentre outras. Nesses locais, o professor mostrou-se um grande conhecedor da dura realidade do povo indiano e defensor da luta revolucionária no país. Após o anúncio de seu despejo, personalidades democratas, como o escritor Sueco Jan Myrdal, sairam em sua defesa.

Respeito o Dr. GN Saibaba, não só pela sua profunda sabedoria sobre a Índia, mas também pelo seu grande conhecimento da literatura sueca. Professor Saibaba é intelectualmente importante tanto para a Suécia, quanto para a Índia e, por isso, é imprescindível que ele possa continuar o seu trabalho e suas pesquisas. Me sinto muito perturbado pela forma como as autoridades acadêmicas indianas têm tratado o seu caso. Espero que isso tudo seja apenas fruto de um mero erro burocrático. Seria uma vergonha para a Índia se esse erro não fosse concertado.

O link para acessar a petição pública exigindo a recondução imediata do professor Saibaba a sua moradia na universidade de Nova Déli está disponível no blog de AND na internet.

 

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: