RS: Após despejo, povo Xokleng Konglui não se intimida

RS: Após despejo, povo Xokleng Konglui não se intimida

Print Friendly, PDF & Email

Após sofrer ameaça de “reintegração de posse”, que tinha como prazo o dia 2 de janeiro de 2021, o povo Xokleng Konglui retirou-se, no dia 01/01, da Floresta Nacional (Flona) de São Francisco de Paula (RS). A área é reivindicada como parte do seu território tradicional e havia sido retomada em 12 de dezembro. Não obstante, os indígenas seguem resistindo com acampamento do lado de fora da cerca da Flona, nas imediações da rodovia RS-484.

Kullung Veitcha Teiê, uma das mulheres à frente da retomada Xokleng, enfrentando o oficial da Justiça e os agentes da GPI da Polícia Federal. Foto: Alass Derivas.

Mesmo após a retirada voluntária das famílias Xokleng, agentes públicos – a Polícia Federal (PF); o Grupo de Pronta Intervenção da PF; Francisco Aureliano Dorneles Wit, funcionário da Funai; e um oficial de Justiça – chegaram ao local, no dia 02/01, para executar a ordem de despejo da Justiça Federal de Caxias do Sul, solicitada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) – órgão responsável pela gestão da Flona e que tem em vista entregá-la à iniciativa privada.

No mesmo dia, as lideranças da comunidade Xokleng emitiram uma nota explicando a  saída temporária de parte de seu território e anunciando que a luta continua. “Não vão nos amedrontar com ameaças de remoção forçada e muito menos nos intimidar através de medidas judiciais protelatórias ao nosso direito. Nossa retomada é sopro de vida, sinal de esperança e símbolo de luta e resistência. Seguiremos unidos aos demais Povos do Brasil  contra as injustiças, pela  demarcação de todas as terras, defendendo-as e combatendo a tese do marco temporal e as demais manobras políticas e jurídicas  criadas  para nos roubar a terra”.

 

 

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: