‘Seu’ Sula vive na heroica saga camponesa de Cachoeirinha

https://anovademocracia.com.br/174/07b.jpg
https://anovademocracia.com.br/174/07b.jpg

‘Seu’ Sula vive na heroica saga camponesa de Cachoeirinha

Print Friendly, PDF & Email

No dia 26 de julho recebemos, com profundo pesar a notícia do falecimento do companheiro Sula, integrante da histórica Resistência Camponesa de Cachoeirinha, fato marcante da luta pela terra no estado de Minas Gerais nos anos de 1960 (ver AND nº 141, ‘Resistência camponesa derrota latifúndio’).

http://jornalzo.com.br/and/wp-content/uploads/https://anovademocracia.com.br/174/07b.jpg
Seu” Sula durante o 8º Congresso da LCP no Norte de MG

Tivemos a satisfação de, ao seu lado, participar do 8º Congresso da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia, organização na qual militou e foi eleito Presidente de Honra. Transbordando energia, no ato de encerramento do congresso, sob calor escaldante e o peso de mais de 90 verões, o companheiro Sula ergueu com energia a bandeira vermelha de sua organização e dançou ao som de canções populares como se fosse um jovem

Em seu funeral, os camponeses lhe renderam merecida homenagem e destacaram o significado da luta de “Seu” Sula para a LCP e de seu papel como precursor da luta pela terra na região. A bandeira da LCP cobriu o seu corpo e seguiu a frente do cortejo fúnebre, sendo, posteriormente, entregue à família.

Dona Maria, sua esposa, recordou-se com orgulho, durante o velório, o fato de Sula ter participado e apoiado várias tomadas de terra. Ressaltou que Sula nunca aceitou favores dos coronéis da região, sendo que seus filhos e netos nunca trabalharam em cargos nas prefeituras e também que o companheiro fazia de tudo para envolver sua família na luta pela terra, para que os seus filhos pudessem trabalhar e viver em Cachoeirinha nas terras retomadas do coronel.

Camponeses de diversas áreas estiveram presentes em seu funeral, assim como a Coordenação da LCP, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e a Articulação Rosalino, entre outras organizações. No trajeto do cortejo fúnebre, pequenos comerciantes fecharam as portas em sinal de respeito, as pessoas na rua paravam em silêncio, tiravam os chapéus e assistiam com reverência.

AND sente profundamente a morte desse grande lutador de nosso povo, exemplo da fibra do povo camponês de Cachoeirinha: negro e pobre, decidido, vitorioso!

Viva a heroica resistência Camponesa de Cachoeirinha!

Companheiro Sula: Presente na Luta!

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: