MG: 100 anos da Grande Revolução de Outubro é celebrado em Belo Horizonte

MG: 100 anos da Grande Revolução de Outubro é celebrado em Belo Horizonte

Print Friendly, PDF & Email

O Ato-Político em Celebração aos 100 Anos da Grande Revolução Socialista de Outubro de 1917 na Rússia ocorrido ontem, 9 de novembro, na Escola Popular Orocílio Martins Gonçalves, em Belo Horizonte (MG), contou com a participação de cerca de 100 pessoas. A celebração foi convocada pela Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) e contou com a participação de outras organizações como o Movimento Feminino Popular (MFP), o Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), a Liga dos Camponeses Pobres (LCP), a Liga Operária, a Unidade Vermelha – Liga da Juventude Revolucionária (UV-LJR), entre outras.

Na abertura da atividade, foi entoado, com muita vibração e a plenos pulmões pelos mulheres e homens revolucionários, o hino do proletariado, A Internacional, e, em seguida, foi tocado o hino da União Soviética. As companheiras do MFP fizeram uma apresentação entoando o hino Lutadoras da Revolução e saudaram a grande companheira fundadora do MFP, Sandra Lima. Um estandarte com sua imagem foi erguido. Ao longo da atividade, foram lidos poemas de Maiakovski e Bertolt Brecht.

Antes da fala do representante da Frente Revolucionária, o microfone foi aberto ao companheiro Paulo Amaral, representante da Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo), que, aos 76 anos, reafirmou a sua condição na luta. Também fez uso da palavra uma jovem estudante, a companheira Laura, representante do MEPR, que ressaltou o papel da juventude na URSS, tanto na Revolução Socialista, dirigida pelo Grande Lenin, como no combate ao nazifascismo, dirigido pelo camarada Stalin. Logo em seguida, o companheiro representante da FRDDP fez uma grande intervenção baseada no manifesto intitulado Viva o Luminoso Caminho de Outubro!

Neste 10 de novembro, ocorrerá um Ato com o mesmo tema no Rio de Janeiro, a partir das 19h, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da UFRJ, Largo de São Francisco, centro da cidade.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: