MG: Camponesas enfrentam a polícia em ato por Marielle e contra a Vale

MG: Camponesas enfrentam a polícia em ato por Marielle e contra a Vale

Print Friendly, PDF & Email

Fotos: Divulgação/MST

Na manhã desta quinta-feira, 14 de março, centenas de mulheres organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) bloquearam a passagem de um trem da empresa Vale no município de Sarzedo, em Minas Gerais. A manifestação, além de repudiar o crime cometido pela Vale em Brumadinho em janeiro deste ano, homenageou a vereadora Marielle Franco pela passagem de um ano de seu assassinato político completado nesta quinta.

Segundo informações do MST, cerca de 400 pessoas participaram do ato que tentou impedir o trajeto do trem da Vale que passa diariamente por Sarzedo, cidade vizinha a Brumadinho, transportando minério de ferro extraído do quadrilátero ferrífero de Minas Gerais.

As camponesas também denunciaram a violência da mineração predatória contra as mulheres, a ameaça de abastecimento de água gerada pelas mineradoras, a sonegação da previdência e o não pagamento dos impostos sobre a extração mineral.

No meio do protesto, a Polícia Militar atacou as manifestantes e houve confronto. Os agentes jogaram gás de pimenta e, de acordo com informações veiculadas na imprensa, pelo menos dez mulheres ficaram feridas.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: