Violência sem fim contra mineiros na África

No dia 31 de outubro dois trabalhadores foram assassinados em uma mina de carvão na província de Kwazulu-Natal, no leste da África do Sul, por mercenários (vulgo "seguranças") de uma transnacional canadense, a Forbes Coal.

Os operários da mina de Magdalena estão em greve desde o último dia 17 de outubro, reivindicando melhores salários. As informações são de que, no dia das execuções, cerca de cem trabalhadores estavam concentrados na mina quando sofreram uma truculenta tentativa de dispersão por parte dos mercenários fantasiados de "guardas" da Forbes Coal. Os dois que foram mortos teriam tentado entrar na sala de armas do local em busca de meios para se defender.

No último dia 6 de novembro a agência internacional de notícias Reuters anunciou que tivera acesso a fotografias atestando que a polícia da África do Sul "plantou" armas junto aos corpos dos 34 mineiros assassinados em agosto em uma mina de platina de uma transnacional britânica que opera naquela semicolônia, na maior chacina levada a cabo pelas forças de repressão sul-africanas desde o fim (fim apenas formal, oficialesco) do regime de Apartheid.

Em fotografias tiradas logo depois da matança, pelo menos dois operários jazem sem qualquer vestígio de armas ao seu lado. Já em outras fotografias, estas tiradas um pouco mais tarde, há várias armas, inclusive lanças e um facão, que aparecem ao lado dos mesmos cadáveres, em uma clara armação para tentar justificar as infames execuções de trabalhadores em plena luta por melhores salários e condições de trabalho.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin