Relatório confirma: terras são dos guaranis

http://anovademocracia.com.br/103/09a.jpg
Estudos da Funai reconhecem a posse de terras pelos povos Guarani Kaiowá e Guarani Nhandéva

Duas áreas com mais de 40 mil hectares, situadas em Iguatemi (MS) e ocupadas há décadas pelo latifúndio, não pertencem a esses fazendeiros brancos e sim aos índios guaranis-kaiowás.

A conclusão é do Relatório Circunstanciado da Terra Indígena Iguatemipegua I (comunidades de Mbarakay e Pyelito Kue), publicado em 8 de janeiro no Diário Oficial.

O documento, elaborado pela antropóloga Alexandra B. da Silva e equipe, por solicitação da Funai, é o primeiro passo para se legalizar e devolver esse território indígena a seus verdadeiros donos.

Embora os guaranis estejam contentes, sabem que o processo legal é lerdo, cheio de entraves, e que a luta da tribo ainda terá que continuar viva e forte, como tem sido até aqui. Publicamos abaixo um resumo do Relatório, que contém importantes dados sobre a história indígena naquelas áreas e a dos seus usurpadores.

Os povos indígenas Guarani Kaiowá e Guarani Nhandéva, em Mato Grosso do Sul, se distribuem em 33 localidades (entre terras indígenas e acampamentos).

Desde a conquista europeia, os relatos orais indígenas, bem como registros e documentação escrita comprovam o uso e a ocupação tradicional Kaiowá da margem esquerda do rio Iguatemi. Trata-se de um amplo território, onde esses indígenas ocupavam as margens e cabeceiras de cursos d’água que convergem para o Iguatemi. (Nota de AND: o termo“Iguatemipeguá" significa “aquilo que procede do [rio] Iguatemi".)

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro