Punição para os torturadores: gorilas lançam livro

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Os militares de pijama, representados pelo coronel da reserva Lício Maciel, conhecido torturador, e por José Conegundes, tenente da reserva, relançaram o livro “Orvil – Tentativas de tomada do poder”.

O livro é resultado de uma missão atribuída ao Centro de Informações do Exército, em 1985, de formular uma resposta ao livro “Brasil Nunca Mais”, que relatava as torturas e perseguições do gerenciamento militar brasileiro, baseado nos processos políticos que tramitaram na justiça militar até 1979.

Orvil (livro ao contrário) foi proibido de ser publicado quando ficou pronto, em 1988. Anos depois, acabaram sendo lançados mil exemplares e agora a versão dos militares voltou às prateleiras.

O livro é um misto dos arquivos secretos do Exército e um punhado de mentiras e acusações, mas revela muito bem a ideologia por trás do golpe militar e que ainda vigora em muitas das instituições militares e policiais do país.

Caso Herzog investigado na OEA

A Comissão de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) divulgou um relatório de admissibilidade, no dia 22 de janeiro, revelando que está investigando a tortura e assassinato do jornalista Vladimir Herzog. O pedido de investigação foi feito em 2009 pelo Centro pela Justiça e pelo Direito Internacional (Cejil), pela Fundação Interamericana de Defesa dos Direitos Humanos, pelo Centro Santo Dias da Arquidiocese de São Paulo e pelo Grupo Tortura Nunca Mais (SP).

Segundo o relatório, o Estado brasileiro afirma que não houve omissão dos fatos, que a OEA não teria competência para realizar a investigação e, ainda mais grave, que os recursos internos referentes ao caso teriam se esgotado com a Lei da Anistia, de 1979. A resposta da OEA ao Estado é simples: a Lei da Anistia é inconstitucional e a Comissão de Direitos Humanos continuará investigando o caso.


NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin