Chávez morreu! O "socialismo do século 21" morrerá?

A- A A+

Hugo Chávez impôs um estilo de fazer política na América Latina, no qual o impulso burocrático do aparato estatal – ainda que com dificuldade em comparação com as décadas de 1950 e 1960 – e a exaltação à identidade latinoamericana (ainda incipiente) o colocou na cena da construção do chamado "socialismo do século 21". A verborragia nacionalista paralela a uma retórica anti-ianque estiveram na ordem do dia.

Sem dúvida, Chávez ocupou um lugar de primeiro plano na trama da reestruturação dos Estados latinoamericanos no contexto de uma época pós-neoliberal, na qual quase todos os governos alienaram para empresas transnacionais seus exíguos patrimônios públicos destinados à incipiente promoção das empresas estatais. Estas, por sua vez, foram instaladas através de empréstimos usurários com bancos transnacionais entre as décadas de 1950 e 1970. Tais Estados também hipotecaram seus recursos naturais a estes interesses transnacionais. 

Chávez iniciou uma nova época de nacionalizações ou estatizações de empresas, que configurou uma expansão dos setores burocráticos, em especial aqueles saídos dos quarteis militares venezuelanos e de alguns sindicatos. Uma espécie de reedição do apoio aos setores burocráticos como ocorreu no Brasil, na década de 1950, com Getúlio Vargas; na Argentina com Perón; na Bolívia com Paz Estensoro; com o terceiro período do presidente Velasco Ibarra no Equador; ou com o governo militar de Velasco Alvarado, no fim da década de 60, no Peru. Na Venezuela, este impulso burocrático foi feito de maneira menos contundente com os governos de Rómulo Betancourt e Rafael Leoni, entre o final da década de 1950 e começo da década de 1960.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja