Musica e poesia de pai pra filha

Filha do poeta e compositor paraibano Zé Marcolino, um dos três autores preferidos de Luiz Gonzaga, Fátima Marcolino segue o caminho do pai e lança seu primeiro livro de poesias, A mesa da cozinha lá de casa, uma espécie de resumo dos diversos assuntos tratados entre amigos na mesa da sua cozinha. Compositora com obras gravadas por Maria da Paz e Irah Caldeira, entre outras, Fátima também cuida do acervo de seu pai.

— Tive a felicidade de ser filha do Zé Marcolino, um grande poeta e compositor, considerado como um gênio entre os amigos. Sempre o admirei muito e hoje, já com uma certa idade, tive a maturidade de reconhecer a grandeza da sua obra e cuidar do seu acervo, de tudo que fez e que tenho conhecimento — fala Fátima Marcolino.

— Escrevia muito sobre a natureza, apesar de não ter nem ideia do que era ecologia. Fazia canções belíssimas baseadas em pássaros, em pessoas, histórias e contos que ouvia na rua, tudo relacionado com as raízes nordestinas. Era muito sertanejo, nasceu em Sumé, no alto sertão da Paraíba e morou em um sítio até os 30 anos de idade, então falava daquilo que observava e vivia — conta.

— Também escrevia cordeis, tocava violão e pandeiro, chegou a tocar pandeiro em trios de forró. Tinha até um amigo que dizia: “Marcolino, você é um gênio”, porque ele realmente era. E olha que só tinha o primário, incompleto, feito no interior da Paraíba, lá no sertão. Foi criado no mato mesmo, e com 17 anos de idade já estava compondo e arquivando tudo no cérebro, porque não tinha gravador e nem exista celular naquela época — continua.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin