10 anos da Chacina do Borel e 8 anos da Chacina da Baixada

Uma década depois, nada mudou

Patrick Granja

Com informações da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência

Nos anos de 2003 e 2005, em cantos opostos da região metropolitana, um total de 33 pessoas foram assassinadas por policiais militares em dois episódios que ficaram conhecidos como a Chacina do Borel e a Chacina da Baixada, respectivamente. Em todos os casos, segundo laudo cadavérico realizado pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli nos corpos das vítimas, havia claros sinais de execução sumária. Tiros por trás, disparados a curta distância, muitas vez na nuca ou na parte de trás da cabeça, além de marcas de tiros nos braços, sinalizando a intenção das vítimas de proteger o rosto.

No Borel, quatro homens foram mortos a tiros em uma operação do 6º Batalhão: Carlos Alberto da Silva Ferreira, pintor e pedreiro; Carlos Magno de Oliveira Nascimento, estudante; Everson Gonçalves Silote, taxista; e Thiago da Costa Correia da Silva, mecânico.

Já na Baixada Fluminense. O crime aconteceu no final da tarde do dia 16 de abril e, segundo relatos de testemunhas, as vítimas nem ao menos puderam se identificar antes de serem executadas com tiros na cabeça, tórax, braço e antebraço.

Posso me identiicar?

Thiago havia saído para encontrar o amigo de infância, Magno, em uma barbearia na Estrada da Independência, principal rua de acesso ao morro do Borel. Quando saíram do barbeiro, Magno e Thiago, além de Carlos Alberto, que tinha acabado de chegar à barbearia, ouviram sons de disparos e correram em direção a uma vila conhecida como Vila da Preguiça.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro