Capitalismo europeu no crepúsculo dos seus dias!

http://www.anovademocracia.com.br/109/22a.jpg
50 mil professores tomaram as ruas de Copenhague, na Dinamarca

A cada nova edição, A Nova Democracia traz informações sobre protestos, ações e manifestações cada vez mais retumbantes levadas a cabo pelas classes trabalhadoras da Europa no contexto da crise geral de superprodução relativa do capitalismo que vai mandando pelos ares, uma a uma, as finanças dos Estados burgueses europeus, mostrando que as contradições e a luta de classes rumam a embates determinantes para o futuro – ou a ausência dele – não apenas do capitalismo na Europa, mas do capitalismo internacional.

O agravamento da crise e o acirramento das lutas das classes trabalhadoras contra a burguesia, os banqueiros e os Estados que lhes prestam serviços obedecem a um mesmo destino histórico: o da inevitável suplantação do sistema de exploração do homem pelo homem por uma democracia de novo tipo nas semicolônias ou pelo socialismo nas potências imperialistas.

Os mais novos sinais do processo revolucionário em curso na Europa vêm da quase a totalidade das nações do "velho continente", da Península Ibérica ao Leste Europeu, do Mediterrâneo às ditas "inabaláveis" economias capitalistas dos países nórdicos, com protestos e escaramuças entre o povo e as forças de repressão da Europa do capital monopolista ganhando as ruas tanto das nações centrais do capitalismo europeu quanto daquelas amarradas ao grande capital alemão, francês e britânico.

Protestos de operários na Romênia; desemprego aumentando mais uma vez na Grécia, com a taxa oficial beirando os 28%, em mais um recorde histórico; gigantescas marchas na Espanha pelo fim da monarquia sanguessuga e do arrocho dirigido ao povo; as retumbantes "marchas contra o empobrecimento" em Portugal; as perdas da ordem de 200 bilhões de euros para economia alemã só entre 2009 e 2010, conforme apontou um estudo publicado pelo jornal germânico Die Welt; as previsões de que França, Itália e Espanha vão fechar o ano de 2013 em recessão.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro