Fascismo aberto e maquiado na Europa

http://www.anovademocracia.com.br/109/21b.jpg

Aconteceu no último dia 14 de abril, um domingo, na cidade de Munique, na Alemanha, uma retumbante marcha popular de repúdio à proliferação de organizações abertamente racistas e xenófobas não apenas na Alemanha, mas em toda a Europa, chafurdada na crise geral de superprodução relativa do capital monopolista, em um cenário de fortes ataques da União Europeia contra o mundo do trabalho mediante um sem número de medidas antipovo, que reunidas constituem, afinal, autênticas políticas fascistas dirigidas ao proletariado europeu.

A União Europeia que ora se arma de caçadora de racistas, que tenta fazer crer que fascismo se resume a perseguir negros e estrangeiros, é a mesma União Europeia cujos órgãos - da Comissão Europeia ao Banco Central Europeu, passando pelo Conselho da Europa - estão empenhados em coordenar de uma ponta a outra do continente em crise aquela devastação social de cunho claramente e eminentemente fascista. Porque intenta a dominação política e econômica das nações mais ricas do continente sobre as nações mais pobres. Porque prega a conciliação de classes para tentar esconder os antagonismos entre elas cada vez mais acentuados. Porque garante a implementação das suas medidas antipovo na base do uso das forças de repressão e porque se esmera na contrapropaganda de que o povo precisa fazer "sacrifícios" em prol das suas respectivas nações, enquanto a rapina é levada a cabo e os monopólios e bancos ganham alguma sobrevida a custa dos direitos e dos salários dos trabalhadores.

No último dia 16 de abril o, letoniano Nils Muižnieks, comissário para os Direitos Humanos do Conselho da Europa, o mais alto órgão político da União Europeia, ou seja, da Europa do capital monopolista, divulgou um relatório sobre o racismo e a xenofobia em que solicita à atual gerência da Grécia que declare ilegal o partido "neofascista" Aurora Dourada, que desde 2012 tem representação do parlamento grego.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin