Homenagem a Antônio Dias Queiroz (Tonho)

A- A A+

http://www.anovademocracia.com.br/109/11a.jpgO primeiro contato que tive com a fazenda Santa Elina e a luta camponesa de Rondônia foi através de um cartaz que denunciava o massacre de camponeses ocorrido em Corumbiara em 1995. Na época eu era estudante e me causou profunda revolta ver tanta violência e covardia do latifúndio contra os camponeses. Queria logo fazer alguma coisa para ajudar, peguei um punhado de cartazes e sai pregando na universidade junto com outros estudantes.

Por ironia do destino, alguns anos mais tarde tive a oportunidade de trabalhar em Corumbiara, ajudando na organização da Escola Família Camponesa, e pude conhecer de perto os camponeses que lutaram tão heroicamente por aquelas terras, aprender com suas histórias de vida e trabalho.

Uma das primeiras pessoas que conheci foi o Tonho. Era um sábado e reunimos alguns camponeses para roçar a área onde seria construído o barracão da escola. Tonho era calado e, como camponês, observava tudo com aquele jeito desconfiado, mas também era muito gozador e lembro como ficava agachado na beira da estrada enrolando um cigarro e vendo eu, "barriga verde", pegar na foice para roçar. Bastou ele dizer "parece que você tá roçando de cima do cavalo" e os outros companheiros caíram na gargalhada.

Logo fiquei sabendo que alguns daqueles companheiros, inclusive o Tonho, apareciam naquela foto histórica de Santa Elina, sentados, enfileirados e com cabeças baixas e rodeados por policiais encapuzados.

Com o tempo fui conhecendo melhor o Tonho e sua família. Nos fins de semana era costume dos moradores da linha se reunirem no sítio de seu pai, o seu João Dias, e ficávamos horas debaixo da sombra enorme do pé de jaca, ouvindo os casos, tomando café, chimarrão e vendo a "piazada" correr para lá e para cá atrás de bola. Mas tudo parava num silêncio só quando o seu João começava a dedilhar a viola, unindo todos os ouvidos e corações ali presentes. Esta é uma lembrança que sempre carrego daqueles dias.  

O Tonho participou desde 1999 das discussões para a construção da escola junto com camponeses dos assentamentos Adriana, Vanessa, Verde Seringal e VP-14. Participou dos vários mutirões de construção da estrutura, na organização das festas para arrecadar materiais, e depois participou na direção da escola, junto com os professores, alunos e outros pais para avaliar as atividades realizadas, discutir os problemas dos moradores do local como produção, estradas, energia elétrica etc.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja