Palestinos recordam 65 anos do Nakba

http://www.anovademocracia.com.br/110/16b.jpg

Em 15 de maio, dezenas de milhares de pessoas foram às ruas Faixa de Gaza e da Cisjordânia para lembrar o 65º aniversário do ‘Nakba’ (ou ‘Catástrofe’), o êxodo em massa que aconteceu durante a guerra da criação do Estado fascista de Israel no ano de 1948. Na ocasião, mais de 700 mil palestinos foram expulsos de suas casas e terras, dando início ao conflito histórico e ao massacre covarde de Israel contra este povo.

Atualmente, existem por volta de 5 milhões de refugiados e quase 160 mil palestinos vivem no que hoje é Israel. Ao lado dos seus descendentes, somam quase 1,35 milhão, ou seja, 20% da população de Israel.

Ao meio-dia, as sirenes começaram a tocar por 65 segundos, o número de anos passados. Até as escolas foram fechadas para que todos, homens, mulheres, idosos e crianças pudessem comparecer aos protestos. "O direito do retorno não vai morrer!" foi a palavra de ordem.

http://www.anovademocracia.com.br/110/16c.jpg

Nas manifestações, os palestinos, com paus, pedras e bombas caseiras, enfrentaram corajosamente as tropas israelenses. Próximo a Hebrom, uma bomba incendiária foi lançada contra um veículo militar ferindo quatro soldados israelenses. Em Gaza, ativistas dispararam um foguete que explodiu sem deixar nenhum ferido contra o sul de Israel. 

Os protestos já duravam dias e haviam se intensificado no início daquela semana. Um dia antes, 14 de maio, vários confrontos foram registrados. Os sionistas jogaram gás lacrimogêneo e bombas acústicas, causando desmaios e asfixia em manifestantes. Pelo menos 10 palestinos foram presos. Veículos israelenses foram enviados a Nablus e revistaram residências. Um jovem de 23 anos também teria sido preso. Durante a semana, diversos outros atritos entre o bravo povo palestino e os assassinos sionistas tiveram destaque nos noticiários do mundo inteiro.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro