Rebelião popular se espalha pela Europa

http://www.anovademocracia.com.br/111/14a.jpg
Juventude se rebela em Estocolmo, Suécia

Agiganta-se a rebelião das classes populares na Europa no contexto do aprofundamento da crise geral dos monopólios e da concomitante contra-ofensiva de arrocho ao mundo do trabalho no "Velho Continente", promovida pelas administrações e gerências de várias nações europeias, mais pobres ou mais ricas – arrocho que, como ensina a História, sempre vem acompanhado de uma escalada repressiva que visa manter as massas oprimidas na rédea curta.

No mês de maio chamou atenção a eclosão de uma revolta mais radicalizada na península escandinava, cujas nações (Suécia, Noruega e Finlândia) costumam ser apresentadas pelo monopólio internacional da imprensa burguesa e pelos arautos do capitalismo em geral como exemplos de que, dizem, a conciliação de classes pode dar certo, como se fosse possível haver entendimento entre oprimidos e opressores no âmbito do sistema internacional de exploração do homem pelo homem.

Pois os polidos e educados promotores de toda esta empulhação enrubesceram ante uma radicalizada revolta popular que explodiu nos subúrbios da capital da Suécia, Estocolmo, desencadeada pelo assassinato de um homem de 69 anos pela polícia local, com os "distúrbios" – para usar uma palavra do léxico da direita – transcorrendo ao longo de quase uma semana.

Jovens do distrito de Husby, a maioria de origem imigrante, estiveram na linha de frente da rebelião contra o racismo e a brutalidade policial dirigida aos pobres da Suécia, um dos países nórdicos que volta e meia são apresentados pela imprensa dos monopólios como lugares onde o capitalismo funciona, onde não há pobres, carências e muito menos violência de Estado; onde o capitalismo é "aberto e tolerante".

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro