Estrondosa vaia a Dilma na ópera bufa da Fifa

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/112/06a.jpg
Enquanto o povo protestava diante do estádio Mané Garrincha sitiado ...

1º ato: mais repressão

Trabalhadores e estudantes participaram da manifestação durante a abertura da Copa das Confederações no estádio Mané Garrincha, em Brasília, no último dia 15 de junho. Mesmo com um grande aparato policial, que contou com 10 mil policiais militares e soldados das forças armadas, milhares protestaram no entorno do estádio contra os gastos bilionários com a farra da Fifa. Até um avião não-tripulado (drone) fez parte do esquema de "segurança".

O protesto foi brutalmente atacado pela polícia e os manifestantes resistiram. Cerca de 30 pessoas ficaram feridas e 19 foram detidas. Dos feridos, cinco foram para o Hospital de Base e quatro para o Hospital Regional da Asa Norte. O número de pessoas com ferimentos leves é ainda maior. As imagens divulgadas nos canais de TV e na internet mostram pessoas sendo agredidas, motos perseguindo manifestantes e bombas de gás sendo lançadas ostensivamente. Dez menores de idade foram presos e levados para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) por "desacato", "lesão corporal", "resistência" e "desobediência". 

Um manifestante foi atropelado pela polícia, mas felizmente não sofreu ferimentos graves. Torcedores que estavam entrando no estádio passaram mal devido ao gás lacrimogênio. Uma jovem ficou ferida na cabeça e foi a 5ª delegacia de polícia para registrar ocorrência.

O secretário de "Segurança Pública", Sandro Avelar, deu sua declaração reacionária dizendo que a ação (leia-se a covarde repressão) foi necessária porque os manifestantes ameaçaram invadir o estádio: "Não houve falha. Foi um trabalho maravilhoso que garantiu a realização do evento".

Um dia antes, outro protesto já havia ocorrido com queima de pneus interrompendo vias de acesso ao estádio e prisões de militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto horas depois do protesto já em suas residências.

Tamanha é a pugna no seio da própria gerência FMI-PT que, após essas manifestações, o governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) acusou membros de secretarias do governo federal de articularem o protesto do dia 14 aproveitando-se da mobilização popular.

http://www.anovademocracia.com.br/112/06b.jpg
... Dilma e Joseph Blatter eram vaiados pela torcida em peso

2º ato: vaias para Dilma e Fifa

A cerimônia inaugural da Copa das Confederações também foi marcada com uma estrondosa vaia para a gerente da semicolônia Dilma Roussef e ao presidente da Fifa, Joseph Blatter. Quando Blatter fazia seu discurso de abertura, ao agradecer às autoridades na pessoa de Rousseff, todo o estádio iniciou uma retumbante vaia. Mas a coisa não parou por aí. O presidente da Fifa tentou passar uma descompostura no público, cobrou "respeito e fair play" (que quer dizer jogo limpo no jargão do futebol). Tarde demais, Rousseff reforçou a carranca, Blatter deu um sorrisinho amarelo, e tome mais vaias. Restou à gerente proferir um lacônico "declaro aberta a Copa das Confederações", sem discurso, sem aplausos e sem pontapé inicial solene.


Assine já!

Receba quinzenalmente a edição impressa
do Jornal A Nova Democracia no seu endereço
e fortaleça a imprensa popular e democrática.

Endereços


Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20.921-060
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja
Rafael Gomes Penelas

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait