Severinos e Amarildos

A- A A+
 

http://www.anovademocracia.com.br/116/07.jpg

"O sertanejo é, antes de tudo, um forte". Esta definição de Euclides da Cunha ficou célebre, talvez porque tenha captado um aspecto essencial não apenas do camponês nordestino, retratado em seu livro Os sertões, mas de todo o povo pobre na história do Brasil.

Quando decidi contribuir com a imprensa popular, optei pelo pseudônimo de "Aroeira", porque esta madeira simboliza a fortaleza do espírito sertanejo de que fala Euclides, como forma de homenagear a vida e a luta dos homens e mulheres do povo que são a razão da existência de meus textos.  

Faz poucos dias, conheci uma pessoa incrível que condensa esta força do caboclo sertanejo. Seu Geraldo Lajeado chegou aqui em Montes Claros para realizarmos uma campanha de denúncia contra a tentativa de expulsão das trinta famílias camponesas que vivem há cerca de treze anos na Comunidade Vitória/Cachoeirinha.

Passamos por várias salas de aula da Unimontes – Universidade Estadual de Montes Claros - participamos de eventos e reuniões. Em todas as ocasiões, Seu Geraldo Lajeado com simplicidade, mas muita astúcia e bom humor, conquistou os corações dos estudantes e professores, declamando seu poema que conta a história do Massacre de Cachoeirinha, ocorrido em 1967, no qual o 10° Batalhão da PM comando pelo famigerado Coronel Georgino Jorge de Souza expulsou centenas de famílias camponesas de suas terras:

Vou contar uma pequena história
dos posseiros de Cachoeirinha...
viviam todos tranqüilos
criando porco, bode e até mesmo galinha
viviam todos em seu pedaço de chão
criando porco, galinha e até mesmo feijão
quando foi um belo dia
todos levaram um susto
que chegaram a dar um grito
de repente, apareceu, o maldito Manoelito
Ele chegou fazendo a maior judiação
destruindo todos os barracão
e queimando toda a alimentação
de nossos irmão...
alguns lhe perguntou: - qual a sua intenção?
Ele respondeu, com a voz mansinha:
- "a minha intenção é por todo mundo para correr
e ser dono de Cachoeirinha!"
Ficaram todos sem alimentação
e sem nenhum tostão na gibeira
prá acabar de completar,
chegou o Coronel Georgino
conhecido como Papagaio de Carvoeira
Ele chegou protegido, com seu Batalhão
E os posseiros protegidos com Jesus no coração
Uns foro para a cidade e outros pra debaixo do chão
agora nós mandamos um recado:
- "se Coronel Georgino viver e Manoelito aparecer
em Cachoeirinha eles num entra mais não!"

{loadpositionpublic au}

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

PUBLICIDADE

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!
#
#
#

ONDE ENCONTRAR

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja