Desabamento mata 10 operários em São Paulo

http://www.anovademocracia.com.br/116/02.jpg
Bombeiros socorrem ferido em desabamento em SP.

O operário maranhense Gleidson da Silva Feitosa (pintor) foi resgatado com vida dos escombros do prédio que desabou no município de São Matheus na manhã de 27 de agosto. Ainda chocado pelos acontecimentos, ele tentou explicar o que ocorreu no momento do desmoronamento. O comitê de apoio ao AND em São Paulo acompanha os trabalhos de resgate das vítimas e os desdobramentos do desabamento.

Gleidson trabalhava há mais de três anos na empresa Salvatta Engenharia Ltda, contratada para fazer serviço para a Rede Torra Torra (loja de roupas populares, cama, mesa e banho). Segundo ele, quando chegou à obra o prédio já estava erguido e que iam fazer escoramentos nas lajes para reforçá-la. Ele afirma que os operários comentavam sobre o perigo de desabamento da laje e que fizeram a limpeza da laje superior, que tinha muitos materiais, como tijolos, madeiras e etc., e as colunas de concreto eram fracas e não suportariam o peso.

A obra já havia sido multada duas vezes antes, mas mesmo assim seguiu funcionando a pleno vapor. Vizinhos afirmam que os operários trabalhavam sem descanso, inclusive aos fins de semana.

Segundo o operário, a obra não possuía alvará e, após o desabamento, ninguém assumiu a culpa. O delegado Luiz Carlos Unzelin, do 49º Distrito Policial, em São Mateus, declarou que se a prefeitura tivesse pedido o auxílio da polícia para o embargo, a obra teria sido paralisada. O subprefeito de São Matheus, Chico Marcenas, deixa dúvidas a respeito de irregularidades apontadas pela fiscalização, além de tentar se eximir de sua inoperância e diz que: “Mesmo que a obra fosse liberada, toda responsabilidade técnica de execução é do proprietário e do engenheiro civil responsável”.

A rede Torra Torra afirma que não era o responsável pelo prédio e que só o seria após a vistoria realizada por uma empresa contratada.

Os bombeiros trabalham ininterruptamente desde o desabamento à procura de sobreviventes e corpos, pois há relatos de que havia vários trabalhadores no local.

Gleidson relatou que quando estava debaixo dos escombros, escutava os gritos de desespero dos colegas e que sentia muito cheiro de gás no local. Seu colega Rubens estava com um rádio e conseguiu falar com os bombeiros e eles foram localizados, receberam uma garrafinha de água e tentaram se acalmar. Após ser resgatado, Gleidson ficou dividido entre a felicidade por estar bem e a tristeza e revolta pela morte de seu primo Felipe no mesmo desabamento.

Até a manhã de 29 de setembro, nove corpos de trabalhadores haviam sido retirados dos escombros e 26 feridos foram encaminhados para vários hospitais da região.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro