Tupinambás homenageiam mártires

A- A A+
Pin It
http://www.anovademocracia.com.br/119/13a.jpg
Caminhada dos Mártires Tupinambá na Vila de Olivença, sul da Bahia.

Conforme temos noticiado, o povo Tupinambá da Serra do Padeiro vem retomando dezenas de fazendas localizadas na Terra Indígena Tupinambá de Olivença, entre os municípios de Buerarema, Ilhéus e Una, o que tem provocado a sanha das classes reacionárias locais. Os latifundiários intensificaram a guerra contra indígenas semeando pânico e incitando a população local, provocando uma situação que pode resultar em um grande derramamento de sangue. Desde 14 de agosto a Força Nacional de Segurança ocupa o município de Buerarema a mando dos gerenciamentos Dilma/Jaques Wagner (PT).

Em 29 de setembro, aproximadamente mil indígenas Tupinambá, somados a estudantes, trabalhadores e ativistas do movimento popular realizaram a XIII Caminhada dos Mártires Tupinambá, na vila de Olivença, sul da Bahia. 

 A manifestação dos Tupinambá se concentrou no centro do município e percorreu um trecho de aproximadamente sete quilômetros até a Praia do Cururupe agitando palavras de ordem em defesa do direito do povo Tupinambá, contra a campanha de criminalização dos povos indígenas movida pelo latifúndio e demais representantes das classes dominantes locais.

http://www.anovademocracia.com.br/119/13a.jpg
Caminhada dos Mártires Tupinambá na Vila de Olivença, sul da Bahia.

Durante o protesto, foram recordadas as lutas indígenas ocorridas entre as décadas de 1920 e 1930, quando ocorreram perseguições e violências contra lideranças. Segundo relato dos mais velhos, nesse período ocorreu a "Revolta de Marcelino", nome de um proeminente cacique Tupinambá, contrário à construção de uma ponte sobre o rio Cururupe que serviria para ampliar a invasão do latifúndio nas terras indígenas.

Outro fato histórico recordado foi a "Batalha dos Nadadores". Em 1559, o governador-geral da colônia, Mem de Sá, ordenou um covarde ataque contra os povos indígenas da região tendo como resultado a morte de milhares de índios. Conta-se que os corpos dos guerreiros retirados do mar após seu brutal assassinato, quando estendidos perfilados na praia, teriam ocupado uma légua de distância (mais de seis quilômetros).

As personalidades e entidades presentes na Caminhada dos Mártires Tupinambá divulgaram nota de apoio à luta de seu povo exigindo a imediata demarcação da Terra Indígena Tupinambá de Olivença.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja