Agora, toda água do mundo

A- A A+
Pin It

A água está sendo desmineralizada para se converter em água purificada adicionada de sais

Atualmente há cinco corporações transnacionais atuando em todo o mundo, objetivando transformar água em mercadoria. Observem que mesmo nos restaurantes, ao se fazer uma refeição, não há nas mesas, como a alguns anos, a jarra com água para beber. Somos induzidos a comprar a água engarrafada.

Até nos domicílios, há toda uma propaganda para se usar garrafões de água, desprezando a água da rede pública que pode e deve ser de qualidade. Água transportada em navios tanque e vendida em garrafas, algo semelhante ao que hoje acontece com o petróleo, rigidamente controlado por poucas corporações.

Mas há um aspecto muito importante. O lucro com a água pode ser extraordinariamente alto. Um litro de água R$ 1,00, um litro de gasolina R$ 2,00. Agora comparem: a pesquisa, sondagem, prospecção, exploração, transporte, refino, distribuição do petróleo é muito mais complexa e evidentemente mais cara do que a de água. Para tornar uma área em um campo produtivo de petróleo, há, em geral, vinte anos de investimento e trabalho. As fontes de água estão aí jorrando com alta qualidade, pronta para o consumo. É só engarrafá-la. Será que isto é caro?

Vejam o absurdo que está acontecendo: no rótulo da Nestlé está escrito Societé des Products Nestlé S.A. Vevey Suíça. Proprietária das marcas, portanto detém os direitos de seu uso.

O controle dos mananciais

Quando você bebe esta água, está pagando pelo direito de propriedade de uma água no país com a maior reserva de água do mundo! E tem mais: a venda de água e o uso da marca dão muito lucro e todo ele necessita ser transformado em dólares quando destinado ao exterior. Sendo assim, o Brasil tem que adquirir dólares para disponibilizá-los e se dirigirem às matrizes das transnacionais. Vai vender minérios a preço vil ou então fazer empréstimos a juros altíssimos para haver os dólares.

A entrada das transnacionais no controle dos mananciais está se dando de maneira inteiramente predatória. O Movimento Cidadania pelas Águas revela que a Empresa de Águas São Lourenço, detentora do Manifesto de Mina nº 140/35, foi comprada pela Nestlé na década de 90. O maior patrimônio de São Lourenço, suas águas, passou a ser tratado sem qualquer outro critério, senão que o da exploração predatória.

As demais águas estão perdendo o sabor

O poço Primavera tem uma das águas mais mineralizadas do país, e ela está sendo extraída intensamente, sendo desmineralizada para se converter na tal água purificada adicionada de sais. Isto poderia ser feito com qualquer água. Mas têm os minerais que são retirados dessa água. Quilos de lítio, por exemplo, seriam jogados fora?

O surpreendente foi ver representantes do Estado nas audiências públicas atuando como advogados da Nestlé. Estas empresas e todos que são cooptados para facilitar a sua ação pautam a sua existência numa regra em que o dinheiro deixou de ser a representação das riquezas como representação do valor para ser a própria "riqueza". Neste pensamento não há nenhuma ética nem se respeitam os valores e os interesses da sociedade - há uma maneira de ganhar dinheiro e os beneficiários não admitem nenhuma interferência.

Vejam o exemplo dos grandes traficantes. Eles sabem de todos os males das drogas, mas defendem até com armas a sua maneira de ganhar dinheiro. Em toda a história, as maiores corporações transnacionais demonstraram não ter nenhum escrúpulo na sua busca por lucros.

Não podemos deixar um bem essencial para a vida cair em suas mãos. Já existem empresas estrangeiras doutrinando serviço público de água com privatização. Será possível aceitar que a água que eu tenho que beber seja fonte de lucros abusivos para remeter para o exterior? Daqui a pouco só poderá beber água quem tiver dinheiro para pagá-la. Vamos ter o programa Sede Zero?

Reaja! Divulgue este texto! Não compre produtos destas empresas transnacionais. Principalmente águas. Esta é uma maneira legítima de reagir.

{mospagebreak}

Água – uma dádiva

Um bem fundamental para a vida, pode ser transformada em mercadoria?

Dois átomos de Hidrogênio, um de Oxigênio. Estrutura tão simples, mas tão fundamental - sem ela não há vida.

Em quantas situações, na vida, podemos sentir o que é a água! A beleza das águas cristalinas correndo entre as pedras de um rio. O mar límpido com os peixes visíveis nadando e vivendo. A sensação tão gostosa de um banho, com a água renovando as forças e trazendo toda uma sensação de bem-estar quando estamos suarentos pelas caminhadas. A boca seca e vem o copo de água fresquinha...

A água que ocupa boa parte da Terra e que nem sempre pode ser bebida.

Para a sede, a renovação da vida, a fisiologia humana, o preparo dos alimentos, o lavar - o que fazer sem a água? É tão importante que temos o dito popular: "a água lava tudo."

A água é um bem do ser humano. O médico é bem consciente disto, pois a primeira coisa que examina no seu paciente é o estado de hidratação.

Sempre pensamos na água para beber, mas devemos nos lembrar de que não há plantação sem água e, portanto, não há produção de alimentos sem a água.

É justo haver um dono das águas? Seria o ideal alguém, ou um pequeno grupo lucrar com a necessidade fundamental de água? É um sonho dantesco imaginar legiões de homens sedentos, precisando de água para o seu uso, serem explorados por "donos de água". Pior quando os controles estão distantes e há o pensamento de ser o dinheiro a própria riqueza.

A solução ideal é a brasileira, com os sistemas de água estatizados - não há objetivo de lucro, não há privilégio para nenhum grupo. E, se algum grupo político aumentar os empregos no setor, ótimo. São mais famílias que têm como criar seus filhos dignamente.

Oh, amigo! Pense um pouco. Temos no Brasil a maior reserva de água potável (pronta para beber) do mundo. Será justo pegarem a nossa maravilhosa água, fazerem uma destilação, acrescentarem dois ou três tipos de sais artificialmente e patentearem a fórmula? E, para bebê-la, temos que pagar direitos que são remetidos para o exterior! É um despropósito com o que temos, que nos foi dado pela natureza. É uma agressão ao nosso trabalho! A água é uma dádiva que não pode ser objeto de exploração por nenhum grupo financeiro!

Cada vez mais estamos cercados por um sistema industrializado controlando a água que vamos beber. Estão transformando água, um bem fundamental para a vida, em uma mercadoria. Isso é inadmissível.

Você pode fazer muita coisa para preservar a nossa água nas mãos dos brasileiros.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja