MG: Camponeses bloqueiam rodovias

A- A A+

http://www.anovademocracia.com.br/121/10a.jpg

11 de novembro, sol escaldante em todo o Norte de Minas. Centenas de camponeses organizados pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP) fecharam as rodovias MG 135 e BR 251 em Montes Claros, MG 401 em Verdelândia, MG 122 em Porteirinha e promoveram vigorosos atos nas cidades de Pedras de Maria da Cruz e Januária.

Esses protestos marcam a decisão firme dos camponeses de não renunciar aos seus direitos e não aceitar meias soluções apresentadas pelos órgãos do velho Estado que só enrolam e atacam a luta pela terra. Essas famílias camponesas vêm enfrentando problemas gravíssimos como denunciaram em seu manifesto distribuído nas filas dos engarrafamentos e nas cidades:

“Recentemente realizou-se audiência pública com o Incra em Montes Claros, onde apresentamos uma pauta com problemas de mais 40 áreas, todos gravíssimos, e que temos enfrentado com nossas próprias forças há mais de 15 anos e durante todos esses anos temos cobrado do Estado solução.

Várias destas famílias vivem ameaçadas permanentemente por ordens de reintegração de posse. Ameaçadas pelos latifundiários através de provocações e ação de pistoleiros.

Vivemos perseguidos pelos órgãos ambientais. Acossados pelas mineradoras. Cercados por políticos interesseiros que tentam surrupiar aquilo que o povo já conquistou. Sendo constantemente criminalizados por trabalhar, por lutar por nossos direitos. Vivendo problemas gravíssimos de sobrevivência como falta de água (enquanto são adiadas soluções definitivas, como os poços artesianos).

E é sempre assim, nas vésperas de eleição nos atendem e fazem promessas e depois mandam a polícia para nos atacar ou liberam e acobertam os latifundiários para agirem como de costume: soltar gado nas roças dos camponeses, cortar acesso à água, ameaçar, atacar e assassinar os camponeses, tudo às vistas da justiça e conivência da Vara de Conflitos Agrários e Ouvidoria Agrária Nacional.”

BR 251 - Montes Claros

O fechamento da rodovia BR 251, via de intenso fluxo que liga o Norte de Minas com o Vale do Jequitinhonha, na saída de Montes Claros para o acesso à BR 116 (Rio Bahia), começou às 11 horas da manhã.

Participaram camponeses das cidades de Montes Claros, Manga, Grão Mogol, Novo Horizonte e Fruta de Leite. Houve contratempos. Camponeses que se deslocavam para participar do protesto não conseguiram chegar a tempo. Mas a decisão estava tomada. Depois de uma breve reunião, os presentes chegaram à conclusão do que era preciso ser feito e fizeram! A rodovia foi bloqueada.

Marcharam com suas bandeiras vermelhas. Grandes faixas estampavam as palavras de ordem do movimento camponês combativo: “Viva a Revolução Agrária!” e “A Beirada é nossa!” [Ver sobre luta camponesa pelas terras da fazenda Beirada em AND nº 100]. Vários estandartes foram exibidos com as fotos de Renato Nathan (líder camponês assassinado por policiais em Rondônia) e também do dirigente comunista Pedro Pomar, lembrando o centenário do seu nascimento.

Os camponeses enfrentaram muita pressão para manter a via fechada por mais de 2 horas com pneus queimados e agitando palavras de ordem.

Durante o bloqueio, muitos motoristas declararam apoio e solidariedade com a pauta dos camponeses. Vários caminhoneiros fizeram um buzinaço quando a pista foi liberada e muitos que estavam no final da gigantesca fila ficavam perplexos pelo barulho feito pelo pequeno e compacto grupo de camponeses.

Mas havia mais decisão e muitos manifestos. Os camponeses ainda negros da fuligem dos pneus queimados desceram para o centro da cidade de Montes Claros e fizeram grande panfletagem com suas bandeiras empunhadas. Milhares de trabalhadores que circulavam por ali receberam o material e manifestaram seu apoio aos camponeses.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

MG 135 - Montes Claros

A rodovia MG 135 foi bloqueada desde às 07:30h da manhã até aproximadamente o meio dia. As famílias camponesas da comunidade Estrela Brilhante, encorajadas pela Liga dos Camponeses Pobres e apoiados pelo Comitê de Apoio à Luta Pela Terra, ocuparam a rodovia com suas bandeiras vermelhas e faixas. Uma pilha de pneus e lenha foi queimada interditando o trânsito. Os camponeses exigiram a legalização da posse das famílias que há mais de três anos plantam e vivem na antiga fazenda Buritis, mas devido à alegação ambiental a área nunca foi vistoriada.

Também lá o manifesto dos camponeses foi entregue e houve grande agitação. Cerca de 200 moradores do distrito de Nova Esperança se uniram ao protesto em apoio aos camponeses. Houve pressão da PM e do corpo de bombeiros para tentar liberar a pista. Os camponeses ainda seguraram por mais uma hora de negociações e apelos dos motoqueiros e motoristas. Quando o sol veio a pino, decidiram interromper o bloqueio com muita comemoração e salvas de foguetes.

MG 401 - Verdelândia

Mais uma vez os camponeses bloquearam a rodovia MG 401 em Verdelândia (antiga Cachoeirinha). Há alguns meses atrás, a rodovia já havia sido bloqueada contra as ordens de reintegração de posse emitidas contra vários acampamentos do Norte de Minas em que centenas de famílias vivem e trabalham há mais de 15 anos. A comunidade Vitória, que à época do primeiro bloqueio estava ameaçada de ser despejada, conseguiu, depois de várias mobilizações, suspender a ordem judicial. Mas essa vitória parcial não desmobilizou as famílias, que seguem lutando pela posse definitiva das terras.

Dessa vez a motivação era ainda mais ampla! Camponeses das áreas Vitória, Verde Água e Boa Vista de Verdelândia, participaram do bloqueio. Uma extensa pauta de reivindicações foi apresentada. Também tomaram parte os camponeses das áreas Conquista da Unidade e Para Terra de Varzelândia, representando as comunidades ameaçadas pelo decreto da gerência Dilma Rousseff (PT) que cria o território Brejo dos Crioulos, ignorando a existência de milhares de famílias que vivem e produzem ali há vários anos (e mesmo décadas) e criando uma falsa contradição enquanto de fato não entrega terras nem a um nem a outro lado, deixando os latifundiários e seus bandos de pistoleiros agirem impunemente.

O bloqueio dessa rodovia durou duas horas e os camponeses deixaram bem claro sua disposição em defender suas terras e não se intimidaram perante as constantes ameaças dos pistoleiros. Vários moradores da região prestaram solidariedade.

MG 122 - Porteirinha

A rodovia MG 122, que passa por Janaúba, Nova Porteirinha, Porteirinha e outras cidades e dá acesso à divisa com o estado da Bahia, também foi bloqueada pelos camponeses com suas faixas, bandeiras e exigências. O protesto, que durou cerca de 1 hora, causou bastante impacto na região.

Pedras de Maria da Cruz e Januária

Os camponeses saíram pelas ruas das duas cidades agitando as bandeiras da LCP, distribuindo o manifesto pela terra e pela água.

O som dos fogos de artifício convocava a população para ouvir as reivindicações dos camponeses e participar do ato.

Famílias da área Unidos com Deus Venceremos, ameaçadas de reintegração de posse, denunciaram os repetidos ataques dos latifundiários e seus bandos de pistoleiros e ações policiais sem ordem judicial. Denunciaram também as perseguições aos pescadores e ribeirinhos. Os camponeses denunciaram também a enrolação do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais - Idene e da prefeitura de Pedras de Maria da Cruz para solucionar o problema da falta de água em várias comunidades da região.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja