Péssimos serviços desnudam crime das privatizações

A- A A+

Pouco a pouco, a cada vez que o telefone fica mudo, que cai o sinal de internet; a cada anúncio de lucros fabulosos dos bancos privados que arremataram bancos públicos; a cada aumento dos preços do pedágio, e a cada novo pedágio; a cada notícia sobre um “investidor” de antigas empresas públicas entrando em listas dos mais ricos, enquanto as condições gerais de vida da população se degradam a olhos vistos; a cada prova de inutilidade das agências reguladoras, evidencia-se com maior nitidez que o processo de massivas privatizações do patrimônio público do povo brasileiro, iniciado no gerenciamento Collor, impulsionado por FHC e agravado durante o gerenciamento petista, é, em todo o seu conjunto, um imenso, prolongado e até agora impune crime de lesa-pátria.

As privatizações são um processo histórico balizado pelas requisições dos grandes monopólios internacionais, que passaram a exigir dos administradores e gerentes dos Estados imperialistas e das semicolônias que alienassem o patrimônio público ao redor do planeta, que afinal foi e ainda tem sido levado a cabo sob o discurso padrão da busca por mais eficiência, por preços mais baixos e da necessidade de o Estado “fazer caixa” e diminuir o seu peso sobre a economia.

Em uma semicolônia como o Brasil, entretanto, todo o processo se dá com suas características acentuadas e agravadas, com as empresas públicas vendidas a preço de banana em negociatas azeitadas com dinheiro público, deterioração da qualidade dos serviços, oligopolização e altos preços. Além disso, as agências estatais ditas “reguladoras” funcionam como parte da engrenagem de achaques, descaso e precariedade, sempre atendendo às demandas dos monopólios.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja