20 mil trabalhadores em greve no Comperj: Guerra contra governo, Petrobras e pelegos

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/127/12a.jpg
Uma das grandes assembleias de operários que decidiram pela manutenção da greve

Apesar da repressão, do silêncio sepulcral imposto pelo monopólio da imprensa, dos ataques do judiciário e do peleguismo da direção do sindicato, a greve dos trabalhadores do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - Comperj, em Itaboraí, considerado o maior projeto da história da Petrobras e um dos principais do PAC, continua e já ultrapassa os 40 dias.

Em 27 de fevereiro, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 1ª Região determinou o fim da greve dos trabalhadores do Comperj. A desembargadora Rosana Salim Villela Travesedo concedeu liminar em favor do patronal Sindicato dos Trabalhadores do Plano da Construção Civil de São Gonçalo (Sindemon), considerando a greve abusiva e ilegal. A desembargadora impunha uma multa de R$ 10 mil diários ao sindicato da categoria em caso de descumprimento da determinação.

Mas a greve avança de forma independente do pelego Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil e Pesada, Montagem e Manutenção de São Gonçalo, Itaboraí e Região – Sinticom, filiado à CUT. Prova disso é que, em 6 de fevereiro, durante o bloqueio da rodovia RJ-116 por trabalhadores em protesto, uma caminhonete de som do Sindicom foi, segundo informações veiculadas na imprensa local, apedrejada e incendiada pelos grevistas, cena que tem se repetido em inúmeras greves operárias país afora como demonstração do crescente repúdio dos trabalhadores às direções oportunistas ligadas às centrais sindicais governistas.

Também em 6 de fevereiro, conforme noticiamos na edição anterior de AND, dois trabalhadores foram abordados por homens em uma moto e, após serem indagados se eram grevistas, foram baleados próximo do acesso ao complexo, às margens da RJ-116. Felipe Feitosa, de 21 anos, com disparos na barriga, na perna e em uma das mãos; e Françiuélio Rodrigues, de 20 anos, com disparos no tornozelo e em uma das mãos. Eles foram hospitalizados e se recuperaram dos ferimentos.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja