Ucrânia, nação retalhada pelo imperialismo

A- A A+

Como AND alertava em sua última edição para a iminência do que estava para acontecer, as disputas imperialistas na Ucrânia afinal resultaram na divisão do país em dois.

De um lado, o imperialismo russo, como superpotência nuclear sedenta pelo domínio de áreas estratégicas para seus interesses e desesperada por manter suas áreas de influência; de outro, o imperialismo ianque, superpotência hegemônica, em luta por reafirmar-se como tal e estender suas garras rapaces.

Os ianques e países da União Europeia puxam daqui, e Moscou sob a chefia de Putin puxa de lá, tencionando as contradições interimperialistas em constante pugna e conluio na disputa pelo butim da Ucrânia, levando aquela nação ao limite da guerra civil.

Aconteceu até um uma farsa de “referendo” na Crimeia onde as opções apresentadas ao povo daquela República autônoma foram se gostariam de viver sob o jugo do imperialismo russo ou a mercê das vontades do USA e das potências da Europa. O resultado oficial do tal referendo foi de 97% dos votos a favor da anexação da Crimeia à Federação Russa. No dia 21 de março o Parlamento russo aprovou e Putin sancionou a lei ratificando um tratado que torna a Crimeia parte da Rússia.

Enquanto isso, na Ucrânia (com a Crimeia subtraída) a nova gerência autoproclamada na sequência da queda do ex-presidente pró-Moscou, Victor Yanukovich, já começou a assinar os seus tão sonhados tratos de submissão à União Europeia.

No mesmo dia em que na Crimeia as “autoridades” locais levavam ao limite as características fraudulentas de qualquer sufrágio organizado pelas fileiras do oportunismo e balizado pelos interesses do imperialismo, o “primeiro-ministro interino” da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, esteve em Bruxelas para enfim assinar com as potências da União Europeia o famigerado Acordo de Associação rejeitado na última hora das negociações em novembro do ano passado por Viktor Yanukovich, o que foi o estopim para a crise política que ora desagua na repartilha do país pelas potências contendentes.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja