Minas Gerais: Professores rompem com sindicato pelego

A- A A+

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, com o apoio dos partidos que compuseram a frente eleitoreira que elegeu Luis Inácio para a gerência do Brasil, tem feito aprovar as reformas administrativas no estado.

A educação, a despeito de toda demagogia eleitoral, está sendo atacada de todos os lados no intento de se cortar gastos no setor. Claro que a maneira mais simples de se cortar gastos é demitindo professores e demais servidores da educação, assim como solapando os direitos históricos dos servidores públicos estaduais.

Outra medida tomada é fundir turmas, provocando uma superlotação de alunos nas salas de aula, acarretado ainda mais dificuldades para lecionar.

A primeira medida tomada pelo governo do estado foi a Resolução 428, que impôs o remanejamento dos professores com formação para lecionar de 1ª a 4ª séries para as aulas de 5ª a 8ª séries, o que implicaria, além da demissão de cerca de 7 mil professores designados, segundo informações do próprio sind-UTE MG (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais), em que professores sem habilitação assumissem as aulas de 5ª a 8ª séries.

Muitos professores acusam a diretoria do sindicato, composta por membros do PT e PCdoB, de tentar refrear a luta da categoria, dizendo que estão contra as reformas, mas aprovando as mesmas na Assembléia Legislativa estadual, conforme a tática da frente eleitoreira no plano nacional.

No dia 20 de agosto, professores excedentes e designados, unidos contra esses abusos do governo, obrigaram o sind-UTE a organizar uma manifestação na SEE (Secretaria Estadual de Educação), o que levou a uma reunião de manifestantes com representantes de SEE. Isso levou a uma nova orientação: “Assumirá aulas no ensino fundamental (5ª a 8ª séries) e no ensino médio, o professor excedente com habilitação ou qualificação igual ou maior àquela apresentada pelo professor designado a ser dispensado”.

“Essa vitória parcial, entretanto, só foi conseguida graças à luta decidida da categoria, independente dos pelegos que dirigem o sindicato”, disse o informe do Movimento pela Educação Popular (MEP), que tem, entre seus integrantes, professores estaduais.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja