Partidos maoístas se unificam: êxito da guerra popular

A- A A+

No início do mês de maio, blogs que acompanham as notícias da Guerra Popular na Índia noticiaram a unificação do Partido Comunista da Índia (Maoísta) e do Partido Comunista (Marxista-Leninista) Naxalbari em um só partido, que manteve a designação de Partido Comunista da Índia (Maoísta).

Esta foi uma grande notícia não só para o movimento marxista-leninista-maoísta da Índia, como para todo o conjunto do movimento comunista internacional. A página ‘Gran Marcha Hacia el Comunismo’ divulgou a versão em espanhol da Declaração de unificação do PCI (Maoísta) e do PCI (M-L) Naxalbari (1º de Maio de 2014).

A declaração destaca que “por ocasião do Dia Internacional do Proletariado Mundial, o glorioso 1º de Maio, nós, os maoístas da Índia, com um grande sentido de responsabilidade e firme convicção, anunciamos a unificação entre o PCI (Maoísta) e o PC da Índia (M-L) Naxalbari em um único partido, que se juntará como Partido Comunista da Índia (Maoísta). Fortalecendo assim a vanguarda do proletariado indiano, que é um contingente do proletariado internacional, nos dedicamos mais firmemente à causa da revolução indiana e da revolução proletária mundial”.

O nome Naxalbari é uma referência ao grande levantamento que ocorreu neste local em 1967, empreendido pelo Grupo Guerrilheiro do Povo, dirigido pelo Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista), sob a chefatura do grande dirigente comunista Charu Mazumdar.

A repressão que se abateu sobre os maoístas indianos no final dos anos de 1960 e início da dos anos de 1970 deixou mais de 10 mil mortos e a desaparição de muitos quadros do PCI (ML), entre os quais o líder Charu Mazundar, assassinado na tortura. Os grupos sobreviventes continuaram atuando, embora sem contato, o que fez com que se criassem organizações independentes que cresceram e desempenharam significativo papel, desenvolvendo durante mais de 30 anos a Guerra Popular. Em 2003, o Centro Comunista Maoísta e o Centro Revolucionário Comunista da Índia se unem no Centro Comunista Maoista da Índia (CCMI). Um ano mais tarde, em 21 de setembro de 2004, o CCMI se une ao Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) (Guerra Popular), formando o Partido Comunista da Índia (Maoista). Sua organização militar unificada passou a se chamar Exército Guerrilheiro Popular de Libertação (EGPL).

Em 1º de maio de 2014, dez anos depois, as forças revolucionárias atingem um novo avanço com a unificação do PCI (Maoísta) e do PC da Índia (M-L) Naxalbari. Lembramos que a Guerra Popular na Índia, que quinzenalmente tem seus avanços divulgados nas páginas de AND, mobiliza milhões de massas nas cidades, no campo e nas regiões tribais desse imenso país de um bilhão e trezentos milhões de habitantes.

“Sendo plenamente conscientes dos profundos sofrimentos e miséria em que a grande maioria do povo se vê forçada a viver na Índia e no mundo por causa do inumano sistema imperialista mundial; conscientes da devastação causada por este sistema sobre o meio ambiente mundial e a própria existência da vida neste planeta; mantendo a memória dos milhares de mártires que deram suas vidas pela causa do comunismo e agrupando-nos sob o carmesim da Bandeira Vermelha com seu sangue, nos comprometemos a fazer desta unidade que alcançamos uma poderosa arma da revolução.”

A declaração, assinada pelos dirigentes comunistas Ganapathy e Ajith, pode ser lida na íntegra em espanhol no link: http://revolucionnaxalita.blogspot.com.br/2014/05/india-declaracion-de-unificacion-del-pc.html

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja