A Eterna Colonização da África

http://www.anovademocracia.com.br/132/20a.jpg
Resposta a Michele Obama: "Seu marido matou mais garotas
muçulmanas do que o Boko Haram jamais conseguiu"

Há algumas semanas parece que o assunto internacional mais importante para a mídia européia e americana era o rapto de 200 garotas colegiais nigerianas por um grupo terrorista radical chamado Boko Haram. Embora o rapto tenha sido praticado 15 dias antes, o assunto se tornou viral, um favorito instantâneo para os ativistas de poltrona e até para Michele Obama, que tirou foto com cara de choro e uma placa com o hashtag #BringBackOurGirls (tragam nossas meninas de volta).

A Organização Internacional de Trabalho estimou, em 2003, que até 6 milhões de crianças nigerianas já foram traficadas em algum momento de suas vidas. Segundo Emma Cristopher, especialista mundial de casos de escravidão e tráfico de seres humanos, dezenas de milhares de pessoas são compradas e vendidas todos os anos na Nigéria, a maioria são crianças. 40% da produção mundial de Cacau vem da Costa do Marfim. Crianças são traficadas de todo o oeste da África para trabalhar lá.

À medida que a economia da Nigéria expande e o volume das suas exportações de petróleo cresce, aumenta também o numero de ataques terroristas e a presença das tropas americanas do AFRICOM (comando africano do exército ianque). Os ataques do movimento Boko Haram começaram há cinco anos. Segundo especialistas da região, o Boko Haram é financiado e armado clandestinamente pelas forças de inteligência dos estados membros mais importantes da OTAN. Esse apoio seria justamente visando a desestabilização de países da região para justificar a presença militar da OTAN. A investida americana do AFRICOM, que diz buscar “soluções africanas para problemas africanos”, gravita estranhamente para as regiões ricas em petróleo e minerais, como Gana, o Sudão e o Congo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin