Índia: Sushil Roy, uma vida dedicada a Guerra Popular

http://www.anovademocracia.com.br/133/20a.jpgNo último dia 18 de junho faleceu, aos 78 anos, o camarada Sushil Roy, membro do Birô Político do Partido Comunista da Índia (Maoísta).

O dirigente comunista faleceu depois de uma longa enfermidade. Ele tinha sido detido em 2005 e condenado a prisão. Foi posto em liberdade em 2012 após pagamento de fiança. Desde então sua saúde piorou.

Sushil ingressou nas fileiras do Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) em 1963 e mais tarde integrou o Centro Comunista Maoísta, antes da constituição do PCI (Maoísta), organização da qual integrou a direção central.

Na nota de homenagem ao veterano dirigente maoísta publicada pelo Partido Comunista maoísta da Itália, é destacado que, durante sua prisão, Sushil Roy “havia sido medicado inadequadamente, o que fez piorar sua saúde. Mas hoje o imperialismo está em declínio e seus descendentes estão fazendo avançar a guerra popular”.

O relato de uma pessoa que visitou Sushil Roy no hospital nos seus últimos meses de vida conta que o dirigente comunista “encontrava-se em uma condição terrível, mas seus poderes mentais eram tão fortes que o levou a uma recuperação assombrosa durante algum tempo.

Ele combateu a morte como um soldado. Tristemente sua saúde sofreu um revés na primeira semana de maio.”

A nota de um companheiro sobre o falecimento de Sushil Roy publicada em Gran Marcha Hacia el Comunismo resgata a história de uma vida dedicada ao partido e a guerra popular:

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

“Sem dúvida foi um dos maiores dirigentes da história do Movimento Comunista da Índia que iluminou a chama de Naxalbari e do maoísmo.

Com sua tenacidade de ferro dirigiu o PCI (Maoísta). Depois de reunir-me com ele, mudaram alguns de meus pontos de vista sobre o antigo Centro Comunista Maoísta, o qual o camarada foi seu antigo secretário-geral. O Camarada Roy jogou um papel relevante na unificação do CCM e do Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) Guerra Popular [que deu origem ao PCI (Maoísta) em 2004].

Foi um mestre da dialética revolucionária que pôs em prática e sua experiência jogou um papel valiosíssimo. Empunhou a política marxista-leninista-maoísta com a maestria de um catedrático ou um cirurgião.

Defendeu a ideologia do Partido Maoísta, com unhas e dentes, apesar de ter sido sentenciado a pena de prisão e ter saúde piorada. Esquivou-se de todos os obstáculos e durante toda sua vida combinou as qualidades de um soldado com um arquiteto. Refutou a todos aqueles que trataram de dividir o Partido Maoísta e que foram críticos com a unificação em 2004. O Camarada Sushil Roy faleceu quatro meses depois do 10º aniversário da constituição do PCI (Maoísta). Durante sua vida, ele enfrentou a maior turbulência dos mares. Ele tinha a alma de um verdadeiro revolucionário.”

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro