Críticas à Copa: nas Américas, de tudo um pouco

http://www.anovademocracia.com.br/133/14a.jpg
Em Buenos Aires, Argentina, foi lançada a cobertura villera

No sul do continente, grupos argentinos e paraguaios adotaram ações originais para criticar a Copa da FIFA.

Em Buenos Aires, moradores de bairros pobres (também conhecidos como vilas-miséria) anunciaram, dias antes do início do campeonato no Brasil, “a primeira cobertura villera do Mundial de Futebol”, que transmitiria notícias com “uma ótica coletiva e social”, a partir de sedes jornalísticas provisórias localizadas em favelas do Rio de Janeiro.

O anúncio foi feito numa barraca instalada no Obelisco, centro da cidade, pelo chamado Coletivo La Poderosa, que desde 21 de abril reivindica a urbanização das vilas-miséria da capital argentina.  

“O futebol não é nem a FIFA e nem as grandes marcas. Queremos aproveitar esta grande plataforma midiática para divulgar a nossa causa, que é também a causa das favelas do Brasil e de assentamentos semelhantes de outros países. Assim como os militares argentinos usaram um Mundial para esconder os crimes de lesa humanidade e para silenciar os que lutavam por um mundo melhor, nós vamos usá-lo ao contrário”, afirmaram os organizadores.

Conforme a ideia, os 13 comunicadores populares deveriam ficar hospedados em casas de famílias do morro Santa Marta, no Rio, percorrendo outras favelas no transcorrer do campeonato.

Já no Paraguai, o protesto ocorreu sob a forma indireta e criativa de um filme, lançado no dia 20 de junho, mostrando que a origem desse esporte não pertence exclusivamente à Inglaterra, como se costuma propagandear.

O documentário Los guaranies inventaron el fútbol  foi apresentado em evento na atual cidade de San Ignácio Guazu, lugar que, segundo estudos antropológicos, foi o berço do jogo denominado pelos indígenas guaranis como Mangá Nhembosarái. Este, segundo presumem os pesquisadores, foi o embrião do que hoje se conhece como futebol, supostamente o esporte mais praticado do planeta.

Conforme o etnólogo e linguista Bartomeu Meliá, um dos entrevistados do filme, o jogo de bola dos guaranis (praticado com os pés) está documentado desde o ano de 1639, não se tratando, portanto, de apenas “conversa”. Disse que nos escritos do jesuíta Antonio Ruíz de Montoya há referência até mesmo ao material utilizado na fabricação das bolas.

“O que hoje conhecemos como futebol começou a ser praticado nos colégios ingleses a partir do século 17, mas a primeira regulamentação seria a de Cambridge, em 1846, e a primeira Football Association (FA), de Londres, somente apareceu em 1863. A FIFA foi criada em Paris, em 1904. Todas, pois, datas mais recentes do que as que documentam o futebol dos guaranis”, afirmou o estudioso.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro