Famigerado bispo inaugura templo do charlatanismo em São Paulo

A- A A+
Pin It

http://www.anovademocracia.com.br/137/15.jpg

No último 31 de julho foi inaugurado no coração da maior cidade do país, São Paulo, o chamado Templo de Salomão, gigantesca e luxuosa propriedade que dá à Igreja Universal do Reino de Deus a capacidade de reunir em um só lugar 10 mil “fiéis”, ou seja, 10 mil potenciais pagadores de dízimo. Trata-se de uma obra que não é “do cão”, como se diz, mas sim fruto de um mal maior, porque bem real, tangível e palpável: o charlatanismo religioso mais rasteiro, que enriquece uma certa “elite pentecostal” à custa do manejo sorrateiro dos sentimentos religiosos do povo e dos anseios da gente pobre por alguma dignidade e por muita força de vontade para enfrentar um cotidiano de exploração e humilhação, de tanta agrura e de tanta injustiça.

Charlatanismo este que conta com a prestimosa colaboração do velho Estado, cujos gerentes estão sempre, digamos, “sensíveis” ao chamado “voto evangélico”, a ponto de a obra tão nababesca do bispo Edir Macedo, cercada de atenções e holofotes, pudesse ter sido concluída e inaugurada sem alvará dos bombeiros para funcionamento, o que a tornou alvo corrente de uma investigação do Ministério Público, e a ponto de ele, o bispo Macedo, ter no bolso um passaporte diplomático concedido pelo gerenciamento do PT, emitido pelo Itamaraty em 2006 e renovado em 2011, ainda que o beneficiário seja um cidadão permanentemente acossado pela justiça e pelo Ministério Público.

E por falar em Edir Macedo, entre os que vislumbraram no cenário de progressiva degradação geral das condições de vida e de insegurança objetiva e subjetiva espalhadas por todos os níveis da existência das classes populares do Brasil, um terreno fértil para que toda sorte de picaretagem desta estirpe se espalhasse como erva daninha entre o sofrimento do povo, nenhum conseguiu a “prosperidade” alcançada pelo chefe da Igreja Universal do Reino de Deus.

Macedo é o “líder evangélico” mais rico do Brasil, com uma fortuna estimada em R$ 1,1 bilhão. É o 41º homem mais rico do país e o 1268º mais rico do mundo, segundo o último ranking dos endinheirados publicado pela revista Forbes. Seu patrimônio inclui dois apartamentos de luxo em Miami.

Ele e outros membros da cúpula da Igreja Universal estão sempre no banco dos réus respondendo a processos por lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, fraude, formação de quadrilha e tipificações que tais, desde que o Ministério Público começou a rastrear o caminho dos dízimos (a Universal recebeu nada menos do que R$ 8 bilhões dos fiéis só entre 2001 e 2008) desde os templos até os bolsos dos charlatães.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

A esteira rolante do bispo bilionário

Completam o topo da lista da “elite pentecostal” brasileira os pregadores da fé cristã pastor Valdomiro Santiago, ex-discípulo de Macedo e fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus (patrimônio pessoal de R$ 440 milhões); Silas Malafaia, da Assembleia de Deus, maior igreja pentecostal brasileira (patrimônio pessoal de R$ 300 milhões); RR Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus (patrimônio pessoal de R$ 250 milhões); e o casal “apóstolo” Hernandes Filho e “bispa” Sonia, fundadores da Igreja Renascer em Cristo (patrimônio conjunto de US$ 130 milhões).

Voltando ao Templo de Salomão, ele levou quatro anos para ser construído e custou a bagatela de R$ 680 milhões, pagos com os dízimos dos desavisados e ludibriados por Macedo e seus inúmeros pastores-comparsas.

O templo fica em um terreno de 35 mil metros quadrados. Tem nada menos que 100 mil metros quadrados de área construída, quatro vezes mais do que o santuário católico de Aparecida do Norte, no Vale do Paraíba paulista. Tais dimensões bíblicas, por assim dizer, fazem do novo covil do bispo Macedo (ele está morando lá com a família em uma cobertura) o maior templo religioso do país.

O estacionamento do templo conta com 2.000 vagas para carros, 241 para motos e, claro, espaço para mais de 200 ônibus, o meio de transporte por excelência das chamadas “caravanas”, instrumento para levar doadores de “ofertas” em massa tão caro ao charlatanismo pentecostal.

Consta que do altar do Tempo de Salomão sai uma esteira rolante que será utilizada para fazer deslizar o dízimo pago pelos fiéis diretamente para uma sala-cofre. Quem não se lembra das cenas de sacos de dinheiro sendo levados de helicóptero durante e depois de eventos da Igreja Universal do Reino de Deus em estádios de futebol? Quem não se lembra do vídeo em que Macedo aparece ensinando pastores da sua seita macetes para tirar dinheiro dos “fiéis”? Um novo vídeo, este de poucos dias antes da inauguração do Templo de Salomão, mostrou funcionários da seita carregando um helicóptero com malas pretas ali mesmo, no heliponto do templo novinho em folha. A igreja se mostrou escandalizada com a repercussão do vídeo, e soltou nota falando em “crime contra a honra”.

Ode ao sionismo

Para adornar o templo, o bispo mandou trazer cadeiras da Espanha e 40 mil pedras da região de Hebron, na Cisjordânia. Tamanha suntuosidade fazem automaticamente do templo um grande monumento de escárnio e desprezo dirigidos às massas pauperizadas onde Macedo e sua laia vão tentar cooptar pobres diabos dispostos a dar aos lobos 10% dos seus parcos salários, e é capaz de fazer enrubescer os mais ostentadores líderes religiosos da história e suas pompas, circunstâncias, grandes obras e adornos reluzentes em ouro.

Em um vídeo publicado no blog de Edir Macedo sobre “as regras do Templo de Salomão”, um muito polido funcionário da Universal avisa que todos serão revistados antes de entrar, e que não será permitido o ingresso no templo portando qualquer tipo de aparelho capaz de fazer gravações de áudio, imagem ou vídeo, incluindo telefones celulares, em nome da “privacidade” naquele “local sagrado”, ainda que seja permitido – e o vídeo faz questão de ressaltar este detalhe, onde mora o diabo – entrar no Templo de Salomão portando bolsa$ e carteira$.

E para a inauguração do templo salomônico de Edir Macedo apareceu um sem número de figuras proeminentes do Partido Único e de todas as esferas do velho Estado. Estiveram lá para prestigiar o charlatanismo religioso a gerente Dilma, Alckimin, Michel Temer, Fernando Haddad, Arlindo Chinaglia, Gilberto Carvalho, Mercadante, Marco Aurelio Mello...

De olho em dividendos eleitoreiros, todos não se fizeram de rogados em beijar a mão do famigerado bispo e dizer amém ao “novo sionismo cristão” adotado pela Universal, postura copiada pelo sacerdote Macedo de uma tendência observada já há décadas entre seitas evangélicas do USA, repleta de referências a ritos e símbolos judaicos e de homenagens ao Estado genocida de Israel, cujo hino foi tocado pela orquestra do Templo de Salomão no dia da sua inauguração, com Dilma e camarilha solenemente de pé. O próprio Macedo anda circulando agora com aparência e indumentária que o fazem parecer com o estereótipo de um judeu ortodoxo.

Antes do bispo subir ao palco, foi exibido um breve documentário sobre “a luta do povo judeu pela Terra Prometida”. Quando subiu, Edir Macedo exortou a plateia a escrever pedidos de oração em pequenos envelopes previamente colocados nos encostos das cadeiras, e não tardou em dizer: “Quem quiser, não é obrigatório, pode fazer uma doação”. Foi a senha para que dezenas de homens começassem a circular pelo imenso salão munidos de máquinas de cartão de crédito e débito.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja