Música de Recife a São Paulo

Cantora e compositora, a pernambucana Isabela Moraes mostra seu estilo e conquista público em São Paulo, para onde se mudou em busca de novos horizontes. Preparando seu primeiro disco, Isabela se depara com uma grande quantidade de canções autorais que vem juntando desde os doze anos.

http://www.anovademocracia.com.br/140/13a.jpg

— Comecei a escrever música aos 12 anos de idade, a princípio melodias para as poesias que criava naturalmente. Não entendia muito bem o que acontecia de verdade, mas fui fazendo, seguindo, conhecendo pessoas que me direcionaram melhor, e acabei me profissionalizando.

— Passei a cantar em barzinhos com amigos, voz e violão. Mostrando minhas composições para eles, foram se interessando e me incentivando a cantá-las nos lugares que nos apresentávamos. ‘Vamos cantar suas músicas’, diziam — lembra Isabela.

— Assim fui cada vez mais mostrando meu trabalho. Para minha surpresa as pessoas foram gostando, e eu muito feliz com essa reação, porque nunca sabemos o que vai acontecer. Com 18 anos viajei para os Emirados Árabes para cantar, minha primeira viagem profissional.

Isabela passou três meses e meio nos Emirados e quando voltou sua vida já tomou novos rumos.

— Mudei de Caruaru, minha cidade natal, para Recife e continuei cantando ainda mais as minhas músicas, mostrando meu trabalho autoral pelas noites. E começaram a surgir muitos convites para shows de artistas como Zélia Duncan, Adriana Calcanhoto, As Chicas, um monte de gente — conta.

— Cantei no teatro da UFPE, em Recife, e fui fazendo projetos cada vez maiores. Com isso senti a necessidade de expandir mais a minha arte, e acabei vindo para São Paulo, uma cidade que oferece uma gama de oportunidades nesse sentido.

— E foi o Chico César quem me recebeu aqui, ele é um grande apoiador da minha arte. Isso é uma honra para mim, porque é um artista que admiro muito — comenta.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro