Europa: ‘uma solução, revolução!’

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/141/18c.jpg
Manifestantes partem pra cima da polícia fascista em Bruxelas

Na Itália, uma gigantesca marcha popular tomou conta da capital do país, Roma, no último dia 25 de outubro, contra a intenção do gerenciamento do “primeiro-ministro” Matteo Renzi de depredar o Estatuto dos Trabalhadores, conquista histórica dos italianos pela via das lutas classistas dos anos 1970.

 Renzi pretende levar a cabo uma contrarreforma trabalhista batizada de “Jobs Act” que visa facilitar as demissões e ceifar direitos e garantias de trabalhadores com “pouco tempo” de contrato, em suma. E esse “pouco tempo”, ressalte-se, não é um punhado de meses. Não se trata de “período de experiência”. Trata-se aqui dos primeiros anos de trabalho para esta ou aquela empresa.

O projeto já foi aprovado pelo senado italiano e está a caminho da câmara dos deputados. As massas pretendem pará-lo com greves, protestos e marchas como a do 25 de outubro. O clima político no país se radicalizou depois que Renzi desdenhou das mobilizações populares e lançou uma provocação às massas trabalhadoras, dizendo que “a época em que uma manifestação podia bloquear o governo pertence ao passado”.

Na Grã-Bretanha, duas grandes jornadas de protestos populares sacudiram a capital Londres e outras cidades da ilha nas últimas semanas.

No último dia 18 de outubro, mais de 100 mil pessoas saíram às ruas de Londres, Glasgow e outros grandes centros contra o congelamento salarial no setor público, que já dura anos, desde 2009, e vai corroendo o poder de compra do trabalhador. Enquanto isso, os lucros das companhias capitalistas resgatadas, subsidiadas e afagadas de todo jeito pelo Estado burguês aumentaram 21% no mesmo período.

Já no último 5 de novembro, o centro de Londres e os arredores do palácio de Buckinghan, onde se encastela a nata da monarquia parasita, foi palco de um combativo protesto anticapitalista que reuniu cerca de quatro mil pessoas e provocou o desencadeamento de forte reação por parte dos aparatos repressivos do Estado britânico. Não se deixando intimidar, as massas atiraram paus, pedras, cones de trânsito e até barricadas metálicas contra o cordão policial, gritando em uníssono: “Uma solução: revolução!”. Cinco jovens foram presos.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja