Rondônia: dois pesos, duas medidas

A- A A+
 
http://www.anovademocracia.com.br/142/10.jpg
Operação de guera foi montada contra camponeses

Em 6 de novembro último, em um ato de repúdio ao assassinato do dirigente camponês Cleomar Rodrigues, o superintendente do Incra-MG, Danilo Daniel Prado Araújo, declarou, simulando desconhecer a existência da luta de classes no campo, que a ação do latifúndio e seus bandos de pistoleiros é uma “afronta ao Estado”. Ele revelou que, logo após o assassinato de Cleomar, uma equipe do Incra e agentes da Polícia Federal estiveram em Pedras de Maria da Cruz, no Norte de Minas, para realizar uma demarcação em uma fazenda e que foram impedidos de entrar pelo latifundiário e seus “seguranças”. A equipe da Polícia Federal teve que “recuar” devido ao “efetivo insuficiente”, declarou o Sr. Danilo.

Pois os efetivos das forças de repressão do Estado burguês-  latifundiário, que seriam “insuficientes” para assegurar a demarcação de terras do latifúndio para “fins de reforma agrária” (para utilizar o linguajar “constitucional” como tanto gostam de falar os senhores gerentes de turno do velho Estado), agem de forma maciça e brutal para reprimir as massas camponesas.

Notícias veiculadas em páginas na internet de Rondônia reportaram nova operação de guerra em curso contra os camponeses da região de Monte Negro, próxima a Buritis. Cerca de 80 agentes da Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Exército e Força Nacional de Segurança, contando com o apoio de dezenas de viaturas e helicópteros, desencadearam a chamada “Operação Terra Limpa I” na madrugada de 20/11/2014.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Blogs e páginas policiais dizem se tratar de uma operação para “localizar armas ilícitas, substâncias entorpecentes, foragidos da Justiça e de localizar e prender o responsável pela morte de Elias Pereira Pinto, acontecida em um confronto no dia 04/10 na fazenda Formosa”. Para justificar a operação de guerra, buscam atribuir a morte de Elias que, segundo nota da Comissão Pastoral da Terra (CPT) publicada em 16/10/2014, seria um pistoleiro da fazenda Padre Cícero à Liga dos Camponeses Pobres, que apoia e organiza os camponeses em luta pela terra na região.

Simples barracos de famílias camponesas foram invadidos por policiais e militares fortemente armados nessa operação, que, segundo informações, tinha como objetivo cumprir 23 mandados de busca e apreensão. Os agentes da repressão cadastram todos os moradores da região, homens, mulheres e até crianças que poderão ser convocados para prestar depoimentos futuros. Os camponeses denunciam ameaças a truculência dos agentes de repressão.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja