O dia em que o monopólio ‘descobriu’ as torturas da CIA

A- A A+

http://www.anovademocracia.com.br/143/17.jpg

Foi preciso que o USA acusasse o próprio USA para que o monopólio internacional da imprensa burguesa noticiasse o que há muito já se sabia como se fosse uma escandalosa novidade. No último dia 9 de dezembro, o Senado ianque publicou um relatório pormenorizado sobre as práticas de tortura em prisões secretas por parte da agência de espionagem e sabotagem internacional, a CIA, no âmbito da “Guerra Contra o Terror”, e que o “pai” desta guerra, o ex-chefe imperialista, George W. Bush, sabia das atrocidades físicas e psicológicas praticadas mundo afora.

A “novidade” de fato, ou melhor, a diferença entre o relatório do USA acusando o USA e tudo o que já se falou e foi denunciado nesta matéria é que o documento do Comitê de Inteligência do Senado ianque garante, na sua página de número 40, que ao ser informado sobre as torturas da CIA, o que teria acontecido precisamente no dia 8 de abril de 2006, Bush ficou horrorizado com “a imagem de um preso acorrentado ao teto usando uma fralda, obrigado a fazer suas necessidades nela”.

Além de cultivar a fantasia de que em um belo dia o chefe maior do imperialismo mais feroz do mundo abriu uma pasta e foi surpreendido com informações sobre torturas levadas a cabo em nome dos esforços de dominação global movidos pelo USA no pós-11 de setembro — e, pior, que teria se escandalizado com a “notícia” —, o relatório induz à suposição de que prisões secretas e torturas são coisas do passado (na introdução do documento se diz que os presos da CIA “foram” torturados), até que daqui a alguns anos surja um novo relatório dizendo que Obama viu o chão da Casa Branca se abrir sob seus pés ao descobrir que nem só do marketing da “exportação da democracia” se faz um Novo Oriente Médio...

Segundo o relatório do Senado ianque, o chamado “Programa de Detenção e Interrogatório da CIA”, com suas “técnicas de interrogatório agressivas” — torturas — terminou em 2008. E aqui talvez resida a principal função política destas “denúncias”: alimentar a fantasia de que com Obama o imperialismo é mais ameno. E mais: o relatório confirma a morte de uma — apenas uma! — pessoa nas prisões secretas da CIA.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja