Lutas de Libertação Nacional

Palestina

Repressão contra celebração do 8 de Março

http://www.anovademocracia.com.br/147/19a.jpg
Palestinas na manifestação em celebração ao Dia Internacional da Mulher Proletária

Em 7 de março, mulheres palestinas realizavam a celebração antecipada do Dia Internacional da Mulher Trabalhadora quando foram atacadas pelas forças genocidas do Estado de Israel. Dezenas delas ficaram feridas e passaram mal devido ao gás lacrimogêneo e às bombas de efeito moral lançadas próximo ao ponto de inspeção da vila de Kalandia.

O ato foi organizado pelo Sindicato Geral das Mulheres Palestinas, pela Ministra Palestina de Assuntos da Mulher e outras organizações. Em Israel, somaram-se às reivindicações palestinas algumas organizações de mulheres que sustentavam o slogan ‘Mulheres, derrubem o muro!’.

Durante a semana, o grupo ‘Mulheres que Travam a Paz’, formado após os sangrentos conflitos entre palestinos e as forças sanguinárias de Israel no ano passado, também realizou atos, como um que ocorreu em Jerusalém no dia 4 de março. Esta organização de mulheres é parte das vozes que se levantam em Israel contra os massacres cometidos contra o povo palestino.

Pescador assassinado por israelenses

Um pescador palestino foi assassinado a tiros no dia 9 de março por soldados israelenses na costa da Faixa de Gaza. De acordo com Ashrafal-Qodra, o porta-voz dos serviços de emergência palestinos, o homem de 32 anos morreu num hospital em Gaza e outros dois pescadores que estavam com ele foram presos e levados para Israel.

A agência AFP questionou um porta-voz do exército israelense e ele não deu a sua versão para o caso. Assim como todos os palestinos que habitam Gaza, os cerca de 4 mil pescadores também são afetados pelo bloqueio imposto pelos sionistas como parte de suas reacionárias medidas de “segurança”. No segundo semestre de 2014, entre as medidas determinadas pela resistência palestina para um cessar-fogo, os pescadores de Gaza conquistaram o direito de trabalhar em uma faixa de 11 km ao longo da costa, porém são constantes as denúncias de ataques criminosos por parte do exército sionista.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin