Ucrânia: na ‘trégua’, rufam os tambores da guerra

A- A A+
http://www.anovademocracia.com.br/148/16.jpg
Humvees enviados para a Ucrânia pelos ianques

Na Ucrânia, a trégua sobre a qual se diz que vigora sem violações de maior repercussão é, na verdade, “pão para hoje e fome para amanhã”. Enquanto corre mais um cessar-fogo, o imperialismo ianque se apressa e se esmera para treinar e armar o gerenciamento fascista de Petro Poroshenko, que, por sua vez, se apressa e se esmera para aumentar o efetivo do exército ucraniano em um terço, para 250 mil soldados, conforme lei enviada ao congresso do país e aprovada no último dia 2 de março.

No início de março, Washington anunciou que enviaria à Ucrânia ajuda militar em um total estimado em US$ 75 milhões, na forma de veículos Humvees, alguns blindados, drones de observação Raven, radares antimorteiro, entre outros equipamentos bélicos “não letais”. No último 19 de março o Pentágono anunciou que cerca de 300 paraquedistas das forças armadas ianques vão para a Ucrânia a fim de treinar seis companhias de soldados do exército local.

Além disso, dois deputados ianques, um do partido Republicano, Mac Thornberry, e outro do partido Democrata, Adam Smith, apresentaram um projeto de lei no sentido de o USA enviar à Ucrânia uma grande ajuda militar no valor de US$ 1 bilhão, visando dar a Kiev o apoio necessário para “proteger o seu território soberano contra a agressão estrangeira”. O projeto de lei republicano-democrata, assinado por outros 28 congressistas, escancara uma vez mais a imprecisão da ideia do “bipartidarismo” na política do USA, tendo em vista que as diferenças de tom e outras nuances entre aquelas duas forças políticas majoritárias não dirimem o fato de serem ambas promotoras e missionárias de políticas imperialistas.

E nos engendros da geopolítica, ao passo que as contradições insanáveis que marcam os esforços pela repartilha do mundo empurram as potências e suas “áreas de influência” para cruzar as baionetas em mais uma grande guerra imperialista, as ratazanas vão se agrupando em cambadas sob o espectro da iminente digladiação. É caso por exemplo da “aproximação” em curso dos fascistas Petro Poroshenko e Recep Tayyip Erdogan - e, logo, dos seus gerenciamentos na Ucrânia e na Turquia títeres do bloco de poder “ocidental” , em mais um movimento feito segundo os interesses e estratégias sobretudo do imperialismo ianque no tabuleiro de um dos palcos do grande e generalizado conflito que já se distingue no horizonte.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja