RO: nova operação policial contra camponeses

A- A A+
 
http://www.anovademocracia.com.br/151/02.jpg
Policiais do GOE participam de despejo contra famílias camponesas

Em 1º de junho, data do fechamento desta edição de AND, nossa redação recebeu notícias de uma ação policial de reintegração de posse ocorrida no último dia 27 de maio em Machadinho D’Oeste, no estado de Rondônia.

Fortemente armados, agentes da Polícia Militar, do Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros realizaram o despejo do Acampamento Cajueiro 1, que ocupava terras da fazenda Paredão, na rodovia RO-257. Segundo denúncias, a operação que despejou mais de 30 famílias ainda contou com um helicóptero e dois camponeses foram presos.

Segundo nota lançada pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia e Amazônia Ocidental, “há vários meses os camponeses do Acampamento Cajueiro 1, apoiados pela LCP, vinham lutando pelo sagrado direito à terra”.  Várias reuniões foram realizadas “com o Incra e a Ouvidoria Agrária Nacional e as negociações estavam avançando. Mas nada disso foi suficiente para evitar mais um despejo absurdo”. Os camponeses ainda apontam que, enquanto a repressão se abate de forma sistemática sobre eles, os latifundiários recebem “apoio e conivência com seus crimes”. Já para os pobres do campo sobram “despejos, calúnias, perseguições, prisões e assassinatos de lideranças”.

A LCP ainda alerta que o governo Dilma-PT “não cumpre nem a reforma agrária fajuta prevista na Constituição Federal e os camponeses são brutalmente reprimidos! Os camponeses estão fartos de denunciar tanta injustiça e nada acontece”.

Na última edição do jornal A Nova Democracia, nº 150, noticiamos a nova ofensiva do latifúndio contra os camponeses de Rondônia. Como afirmamos, “na noite de 1º de maio, o camponês e presidente da Associação Vladimir Lenin, Paulo Justino Pereira, foi assassinado a tiros no Projeto Rio Pardo [...] Em 27 de abril, Paulo havia participado, juntamente com camponeses de outras áreas de Rondônia, de uma reunião em Jaru com representantes do Incra, Eletrobras, DER e Secretaria de Obras. Na ocasião, os camponeses exigiram a eletrificação das áreas, estradas, pontes, escolas nas áreas e regularização das terras dos camponeses [...]Nos dias 29 e 30 de abril, Paulo participou de outra reunião em Porto Velho. Nela estava presente o Ouvidor Agrário Nacional, Gercino José. Paulo levou as reivindicações dos camponeses de Rio Pardo e denunciou a desocupação violenta da Flona (Floresta Nacional)”.

Ultimamente, assim tem sido: camponeses se reúnem com representantes de órgãos do velho Estado, em particular com a Ouvidoria Agrária Nacional, e, ao invés de terem suas reivindicações atendidas, são mapeados e assassinados posteriormente. Tal é o “Roteiro da Morte” escrito pela gerência reacionária de Dilma-PT para o movimento camponês brasileiro.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia
LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja