Europa: a crise e o arrocho para além da Grécia

A dimensão aguda com que a crise de superprodução relativa do capitalismo internacional ora se manifesta na Grécia tem sido comumente instrumentalizada pelos administradores políticos do grande capital europeu e pelo monopólio da imprensa burguesa mundial para tentarem mitigar o seu caráter incontornavelmente estrutural e o estado de agonia infindável dos grandes monopólios transnacionais que têm matrizes nas potências imperialistas, bem como escamotear a responsabilidade da opressão econômica, sobretudo por parte da Alemanha, a respeito do extremo estado de coisas no terreno grego.

É um grande esforço para se autoatribuir legitimidade suficiente para transferir as decisões político-econômicas referentes às nações periféricas da zona do euro diretamente para a alçada de Berlim, Paris e Bruxelas esta espécie de neocolonialismo praticado no seio da União Europeia com o qual contam as nações centrais do capitalismo europeu para buscarem, elas próprias, algumas bolhas de ar. Esmeram-se, os cabeças do capital monopolista e seus pregoeiros da imprensa capitalista, para fazer crer que a crise agudizada sobretudo na Grécia, em Portugal, na Espanha e na Irlanda são fruto da irresponsabilidade dos políticos, da bolha imobiliária, do excesso de “gastos sociais”. Toda esta ladainha fragmentada mal resiste ao fato de que as populações trabalhadoras dos grandes países imperialistas da União Europeia também não param de ser castigadas por medidas antipovo, de “austeridade”, ainda que em grau que por ora não se compara ao arrocho grego, mas a cada dia mais assemelhado à destruição dos salários, dos direitos e do patrimônio público das semicolônias da Europa e do mundo.

No último dia 8 de julho, o ministro das Finanças do Reino Unido, George Osborne, anunciou que a administração David Cameron implementará um “pacote de cortes sociais” para o próximo orçamento de Estado. Desaparecerão, em relação aos números atuais, 12 bilhões de libras (o equivalente a 16,6 bilhões de euros) em verbas para o funcionamento de serviços públicos e pagamento de “benefícios” (palavra usada à exaustão por tudo que é força antipovo para dar um ar de “privilégio” aos direitos e garantias dos trabalhadores).

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro