Caiçaras da Praia do Sossego ameaçados de despejo

A- A A+

‘Querem destruir minha família, tirar nosso trabalho, nossa casa’

No início de julho, a reportagem de AND foi à Praia do Sossego, região oceânica da cidade de Niterói (RJ), conversar com caiçaras que vivem no local há gerações e estão ameaçados de despejo pela prefeitura em conluio com as forças armadas. Os moradores — três famílias no total — subsistem na praia, da pesca artesanal de frutos do mar, e revoltaram-se ao receber a notícia de que teriam que deixar o local onde muitos deles residem desde que nasceram. A proposta da prefeitura é realocar os caiçaras em apartamentos do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ localizados há 10 quilômetros do local.

Ativistas e banhistas que frequentam a praia também se revoltaram com a notícia do despejo dos caiçaras e se mobilizaram para defender sua permanência. A ordem de despejo da prefeitura de Niterói entrou em vigor no dia 8 de julho e, para prepararem a resistência, caiçaras convidaram apoiadores e movimentos populares para uma vigília na madrugada do dia 7 para o dia 8 do mesmo mês. Vários movimentos e coletivos estiveram presentes, entre eles o Coletivo Projetação e a Mídia Independente Coletiva.

Um dos pescadores que vive com a sua família no local chama-se Antônio Cláudio da Silva, de 44 anos, dos quais 37 foram vividos na Praia do Sossego. Antônio contou um pouco do cotidiano dos caiçaras no local e das consecutivas tentativas da prefeitura de Niterói e da Marinha do Brasil de retirá-los da praia, um verdadeiro paraíso natural cercado por mansões.

De um tempo para cá, eles começaram a tentar tirar a minha casa, tirar tudo de mim, o meu trabalho inclusive, pois eu vivo da pesca. Minha vida está no mar. Eu vivo de pegar um marisco, matar um polvo, pescar um peixe. A maioria do que eu pesco, eu vendo, mas uma parte eu tiro para o sustento da família, uma parte vai para a mesa de casa. Isso começou em 1995, eles tentando nos tirar daqui. Agora estão utilizando práticas ilegais, dizendo que nós estamos desmatando, destruindo, impedindo as pessoas de virem à praia, mas são eles que estão controlando o acesso dos banhistas com uma base da Guarda Municipal que foi montada lá no início da trilha — diz.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja