Protestos populares pelo Brasil

A- A A+

GO: rebelião popular incendeia ônibus

http://www.anovademocracia.com.br/158/07d.jpg

No último dia 21 de setembro, moradores de Jardim Primavera, em Goiânia, realizaram uma manifestação contra as péssimas condições do transporte público bloqueando a rodovia GO-070. Eles afirmam que o número de ônibus não é suficiente para efetuar o transporte de habitantes da Região Metropolitana de Goiânia para a capital e exigem que seja construído um terminal rodoviário na localidade. Durante a revolta popular, pelo menos 6 ônibus foram incendiados e, ao todo, 15 ficaram danificados.

O protesto radicalizado da população forçou a Companhia Metropolitana (CMTC) a decidir que as linhas que circulam em localidades desta região voltem temporariamente a buscar as pessoas nos bairros em horários de pico. Em reunião com representantes dos moradores, o órgão decidiu que as linhas que atendem os pontos de conexão Triunfo e Primavera vão sair e retornar do Terminal Padre Pelágio para os bairros como linhas expressas. Antes disso, os moradores eram obrigados a andar longos caminhos até os pontos de conexão na GO-070, isso sem contar com a má qualidade dos serviços.


RO: protesto contra falta de luz

Em 18 de setembro, moradores de um assentamento bloquearam a BR-364 em Porto Velho, capital de Rondônia, numa manifestação contra a falta de energia, que já durava vários dias seguidos: “Queremos luz, sem energia não vamos ficar!”.

Um vídeo divulgado pelo canal ‘TV do Povo’ mostrou o momento em que um policial militar empurrou uma mulher pelas costas de forma covarde. Os manifestantes foram retirados da rodovia com bombas de gás, spray de pimenta e cacetadas. Cinco pessoas foram presas.


SP: sem teto enfrentam a polícia

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Famílias sem teto entraram em confronto com a PM na noite de 23 de setembro na região central de São Paulo. Os moradores, que ocupam um prédio que estava abandonado na Avenida Ipiranga, denunciam que o confronto teve início após a ação truculenta da polícia. Os sem teto lançaram objetos em resposta aos tiros disparados pelos PMs. Após o protesto, cerca de 40 pessoas foram encaminhadas à delegacia, mas foram liberadas após assinar um termo circunstanciado.


RJ: metalúrgicos se revoltam contra pelegos da CUT/PT

Na manhã do último dia 16 de setembro, metalúrgicos demitidos da empresa Eisa Petro-Um, estaleiro localizado na cidade de Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, realizaram uma manifestação na entrada da empresa contra o atraso do pagamento dos salários atrasados e as rescisões contratuais.

No meio do protesto, os trabalhadores se revoltaram contra alguns burocratas pelegos da CUT (central sindical patronal ligada à gerência reacionária PT/FMI) que estavam no local. A mafiosa CUT, como de costume, levou seus “seguranças” bate-paus, mas não intimidou a categoria.

Em entrevista, o operário Reginaldo Dias afirmou:

Em nenhum momento o pessoal da CUT se moveu para ajudar os trabalhadores. Então isso aí é tudo um teatro da CUT, que é ligada ao governo!

Revoltado contra as injustiças, um outro operário disse:

Se dependesse desse sindicato dos metalúrgicos, eu estaria há três anos passando fome.

Após o tumulto, a Polícia Militar reforçou a “segurança” e os trabalhadores, em sua justa revolta, bloquearam o portão. O clima era de intensa indignação, pois ali se encontravam operários que não faziam mais do que exigir seus legítimos direitos.

SP: mensagens de protesto nos muros

Na segunda quinzena de setembro, a Frente Independente Popular (FIP-SP) enviou à redação do AND fotos de pichações feitas na região central de São Paulo contra a repressão do velho Estado sobre o povo pobre nas periferias. Uma pichação na Avenida 23 de Maio dizia: ‘Basta de chacina da PM! Defenda sua quebrada!’. Ao lado, outra frase exclamava: ‘Viva a Revolução! Fora PT, PSDB, PMDB!.


PE: luta por moradia em Recife

Um protesto bloqueou o trânsito da Avenida Norte, no bairro do Rosarinho, em Recife - PE, na manhã de 23 de setembro. Cerca de 65 famílias que ocupam um terreno que pertencia ao Detran realizaram o protesto para denunciar para a população o problema da moradia na cidade. Pneus em chamas foram colocados no cruzamento das ruas Salvador de Sá e General Abreu e Lima.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja