Chile: brutal ataque contra comunidade Mapuche, Coñomil Epuleo

a tarde de 28 de setembro, forças especiais de carabineros (policiais) do Chile promoveram um violento ataque contra a Comunidade Coñomil Epuleo, localizada em Ercilla, região da Araucanía, com carros blindados e bombas de gás, acompanhados até por um helicóptero.

http://www.anovademocracia.com.br/159/18a.jpg
O comunero José Coñalinco foi baleado no rosto durante ataque

Durante a invasão, após disparos feitos pela polícia, o comunero José Coñalinco foi baleado no rosto quando se encontrava no pátio de sua casa, diante de sua família. Depois disso, Coñalinco foi abandonado gravemente ferido no local enquanto os carabineiros se retiravam. Os próprios membros da comunidade tiveram que transportá-lo com urgência até o Hospital de Victória, onde foi internado em estado grave.

As famílias presentes durante o ataque denunciaram que os carabineros cercaram o hospital para onde Coñalinco foi levado, ficando sob poder da polícia, e que as forças de repressão não permitiram visitas. O hospital foi proibido pelos policiais de dar informações a seu respeito.

Coñomil Epuleo luta há vários anos pela recuperação ancestral do território indígena e contra a criminalização da luta desenvolvida pelo povo Mapuche. A comunidade já enfrentou várias tentativas de despejo por parte de carabineros e em meio à disputa com o latifundiário Hernán Bayer, mas resiste em sua luta por recuperar suas terras de aproximadamente 1.500 hectares. Os colonos afirmam que resistirão e se defenderão com base no internacionalmente consagrado direito à autodeterminação.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Em 6 de outubro, a polícia chilena fez uma violenta operação no Lof Rankilko (Lof é designação dada pelo povo Mapuche às comunidades em que vivem grupos de famílias que se consideram mutuamente aparentadas ou ligadas por um ancestral comum) a título de procurar armas. Casas foram reviradas e até depredadas pelos agentes do Estado. Cinco membros da comunidade chegaram a ser presos, mas foram libertados.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin