Protestos pelo Brasil

Ocupação e resistência estudantil na UFPE

Comitê de Apoio ao AND - Recife

No último dia 2 de outubro, estudantes e técnicos administrativos realizaram um combativo protesto que se dirigiu até a reitoria da Universidade Federal de Pernamabuco (UFPE) com o objetivo de participar da reunião do conselho universitário e cobrar a Homologação do Novo Estatuto, que foi entregue e protocolado há mais de cinco meses pelos delegados eleitos de forma paritária para representar seus centros (docentes, técnicos e estudantes) ao vice-reitor, na biblioteca central do campus.

http://www.anovademocracia.com.br/159/15.jpg
Resistência estudantil enfrenta agentes de repressão da Polícia Federal e da PM

A entrada dos estudantes foi vetada pelo reitor, que colocou bate-paus na porta do auditório onde estava acontecendo a reunião do conselho universitário. Sem temer as intimidações, alguns estudantes conseguiram furar a barreira até a entrada da sala do reitor e exigiram que ele fosse falar com os manifestantes. Ele desceu escoltado por seguranças federais para representar seu monólogo e não escutar as reivindicações. Assim que resolveu sair, os estudantes fizeram uma barreira para que ele continuasse ouvindo a pauta: convocar um conselho universitário aberto ainda este mês com exclusiva e única pauta, a Homologação do Novo Estatuto. Mesmo com todas as tentativas de diálogo por parte dos estudantes, os bate-paus do reitor avançaram agredindo todos, mas houve resistência. As combativas jovens assumiram a linha de frente. Dessa forma, os estudantes resolveram ocupar a reitoria para que sua pauta fosse atendida.

No primeiro dia de ocupação, a luz e a água foram cortadas e, nesta noite, se iniciou de forma covarde a tortura dos que ocupavam o espaço. Seguranças ligaram a sirene e os faróis para dentro da reitoria e um de seus capachos bradou: “Hoje a noite é uma criança e vocês são o nosso brinquedo”, “Vocês querem segurança? Nós estamos aqui”, “Está chegando a hora do banho” e “Vocês estão cansados?”. As provocações baratas e medíocres não intimidaram os manifestantes, que se mantiveram firmes e gritando palavras de ordem.

A ocupação se manteve durante sete dias de forma organizada. Várias tentativas de diálogo com a reitoria foram tentadas. Na reintegração de posse, em 8 de outubro, a Polícia Federal usou spray de pimenta e cassetetes, mas os jovens resistiram até o final, ou seja, até que os agentes de repressão tirassem um por um. Dois estudantes foram detidos e os demais foram até a PF exigir a liberdade de seus companheiros. Um advogado da Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo) acompanhou o caso. Assim que os jovens foram liberados, foram recebidos pelos seus companheiros e companheiras, que cantaram: “Presos políticos, liberdade já! Lutar não é crime, vocês vão nos pagar!” e “Ir ao combate sem temer, ousar lutar, ousar vencer!”.


SP: estudantes protestam em defesa da educação

Nos primeiros dias de outubro, estudantes, pais e professores da rede estadual de ensino de São Paulo protestaram na capital e em outras cidades contra as mudanças que a gerência Geraldo Alckmin pretende promover para “reestruturar” o ensino no estado. Entre as medidas do governo que atacam a educação, está o fechamento de inúmeras escolas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin