‘Farofaço’ contra a segregação nas praias do RJ

A- A A+

Nas últimas três semanas, a equipe de AND esteve nas mais movimentadas partes da orla do Rio de Janeiro e registrou a ação covarde da polícia de bloqueio do acesso dos pobres e moradores de favelas às praias da cidade.

http://www.anovademocracia.com.br/159/13b.jpg
"Farofaço" contra a criminalização da juventude negra e pobre nas praias do Rio

Com bloqueios montados em várias partes da Zona Sul, PMs paravam ônibus vindos das favelas da Zona Norte e exigiam que alguns passageiros desembarcassem para serem revistados. Sem exceção, os alvos eram jovens negros e pobres, que eram levados à delegacia simplesmente por não estarem com um documento de identidade.

Ao mesmo tempo, o monopólio da imprensa disparava uma intensa campanha de criminalização da presença dos pobres na praia, noticiando arrastões e apontando o favelado como o motivo de toda a insegurança dos ricos que vivem nessas regiões. No final de semana do dia 18 ao dia 20 de setembro, dezenas de jovens foram impedidos de ir à praia e levados à 12ª DP, em Copacabana, por estarem sem documentos. A maioria deles foi liberada no final da tarde, quando o dia de praia já havia chegado ao fim.

No final de semana do dia 25 ao dia 27, apesar do sol forte, as praias ficaram vazias, pois muitas pessoas se sentiram intimidadas, principalmente devido a campanha odiosa dos monopólios de comunicação. No entanto, não faltava polícia e quase todas as esquinas de Copacabana e Ipanema tinham uma viatura policial estacionada. Ao mesmo tempo que, em Ipanema, os monopólios de imprensa selecionavam entrevistados conservadores e reacionários para falarem sobre a “sensação de estar em uma praia segura” e ocupada pela polícia; na praia do Arpoador, todos os jovens negros e moradores de favela eram indiscriminadamente revistados e sofriam tentativas de intimidação pela polícia.

No final de semana seguinte, o Coletivo Papo Reto, do Complexo do Alemão, além de várias outras organizações que defendem os direitos do povo, organizaram o 2º Farofaço — uma animada manifestação contra a segregação da praia e a criminalização da pobreza, que leva esse nome por conta da terminologia  preconceituosa de “Farofeiros” utilizada para designar a população pobre que vai nas praias.

O ato começou no metrô de Ipanema e saiu em direção à praia do Arpoador. O Bloco da Associação de Amigos e Profissionais do Funk animou o trajeto e chamou a atenção de vários frequentadores da praia como camelôs, moradores da Baixada Fluminense e de outras periferias do Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja