Rio de Janeiro: PMs da UPP forjam flagrante após execução sumária

A- A A+
Pin It

No dia 28 do último mês de setembro, um vídeo foi divulgado na internet mostrando policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Providência, no Centro do Rio, colocando uma pistola na mão de um jovem que acabara de ser executado durante uma operação na localidade Pedra Lisa. A princípio, o caso foi registrado como auto de resistência, quando uma pessoa é morta ao reagir a uma abordagem policial. No entanto, as imagens mostram claramente o corpo do jovem Eduardo Felipe Santos Victor, de 17 anos, desarmado, caído no chão; PMs efetuando disparos na direção oposta e, em seguida, colocando a pistola na mão de Eduardo.

http://www.anovademocracia.com.br/159/13a.jpg
Policiais forjam confronto para ocultar execução sumária de jovem

O caso revoltou a população do Morro da Providência que desceu para o asfalto para protestar e foi reprimida pela polícia com tiros de bala de borracha e bombas de gás lacrimogêneo. No dia seguinte, os policiais que aparecem nas imagens foram presos administrativamente e irão responder a um inquérito policial militar. A testemunha que filmou a ação e vazou o material na internet saiu da Providência com sua família temendo represálias e seu paradeiro ainda é desconhecido. Outra testemunha disse que o mesmo grupo que assassinou Eduardo, aterroriza cotidianamente a população da Providência e é liderada por um PM identificado como Paulo.

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Esta não é a primeira vez, não é a segunda, não é a terceira. Já foram mais de dez, de 20. Ele tirando a vida de inocente. Ele [o Bonde do Paulo] mata sem pena, sem dó. Ele mata e quer esculachar o morador. Já matou muito morador, ele é ruim. Eles estão demais na nossa comunidade. Quando é o dia dele, é tiro à beça, criança não pode ir à escola, morador não pode ir trabalhar, horrível. Aonde a gente vai parar? A UPP é para cuidar da comunidade, não para ficar matando morador inocente. Vai fazer sua ronda? Faz direitinho, não precisa xingar morador, dá um bom dia, um boa tarde, pelo menos. Ninguém aguentava mais. Chegou num ponto que não dava mais. Tudo na vida tem um limite. Chegou o limite da comunidade. A comunidade pede paz — diz a testemunha.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja