Opiniões - 16

A- A A+

A luta do proletariado

Saúdo aos prezados jornalistas e editores de AND.

Me chamo Cristiano e sou estudante de Direito, leio atentamente às matérias do jornal A Nova Democracia, o qual considero como uma forma de jornalismo sério, democrático e comprometido com o povo brasileiro. O jornal demonstra uma posição bolchevista, e assim, defensora da soberania nacional.

É importante para aqueles que defendem a democracia e o progresso apoiarem-se em exemplos dados por operários e camponeses de ou-tros países, de outras nações, os exemplos heróicos da Comuna de Paris e da Grande Revolução de Outubro, mas é importante não tirar os pés daqui e mostrarmos também os heróis locais, pessoas como Zumbi, João Cândido e Ricarte Sarandy, entrevistado por AND. Pessoas como eles são exemplos a seguir, por sua abnegação, coragem, luta e determinação. Por vezes, ao se falar de Revolução e Socialismo, há quem diga: “mas eu conhecia um rapaz que defendia essas idéias, mas hoje trabalha na prefeitura, vive tomando mel e tem do bom e do melhor, trabalhando para tal ou qual partido de direita.” Mas, isso porque, em geral, essas pessoas não sabem identificar o oportunismo, e assim generalizam. É com exemplos de verdadeiros revolucionários e de um verdadeiro partido que podemos mudar tal situação.

E, assim, segue A Nova Democracia, conscientizando as massas da necessidade do progresso, defendendo o Brasil e cobrando desse governo que tanto se mostrou como uma “alternativa”, no qual o povo depositou sua confiança e suas esperanças, mas que no entanto não está trabalhando pela verdadeira grande mudança e que sequer está defendendo o Brasil da agressão do exterior e da barbárie do imperialismo. Assim, continua mais ou menos a mesma coisa, o povo continua na miséria e a nossa cultura poluída com os excrementos que o capitalismo internacional nos impõem.

Acredito piamente que esse país ainda conhecerá algo sério em sua história, que essa conhecerá verdadeiros heróis de luta do proletariado, que aqueles que torturaram os revolucionários, que venderam o país, bem como os agentes estrangeiros e internos que destroem o país, serão julgados pelo povo trabalhador e pagarão muito caro por seus crimes.

Cristiano Alves
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
www.apaginavermelha.hpg.com.br


Aeromóvel golpeado por espoliadores

Prezados senhores

Com vistas à reportagem Aeromóvel Coester, fui testemunha ocular dos fatos, porque fiz cursos naquela fábrica durante o período em que era funcionário da TASA no Aeroporto velho do Galeão, de 1983-1990, tendo sido demitido exatamente por defender a compra de um equipamento daquela fábrica (Anemômetro para Aeroportos). Havia interesses escusos, grupos de corruptos já viciados nas compras superfaturadas e que não admitiam que alguém interferisse em seus esquemas já implantados. Como sempre, o mais fraco perde e eu não fui exceção.

Conheço bem a história do sr. Oscar Coester, porque eu trabalhei também por longos anos no Aeroporto Salgado Filho, Porto Alegre, e tínhamos acesso constante às oficinas da Varig, onde ele também foi funcionário. O sr. Coester foi uma grande cabeça, um empreendedor, um grande brasileiro, não “alemãozinho” como disseram. O aeromóvel também não foi em frente porque grupos como o do sr. Delfim Neto não tinham interesse em prestigiar a indústria nacional. Podem observar que os vagões do metrô de superfície de Porto Alegre são Hitachi, comprados no exterior não sei porque, quando tínhamos uma indústria ferroviária excelente implantada no Vale do Paraíba. Coisas desses cretinos que sempre espoliaram (e continuam) o Brasil e nosso coitado povo!

Meus parabéns, abraços sinceros.

José Maria Sampaio
Guaratinguetá - SP


Realizações socialistas

Eu queria dar a A Nova Democracia uma sugestão de voltar a fazer matérias sobre as realizações socialistas; há um tempão que não sai matérias desse tipo. Esse tipo de matéria é muito importante pra mostrar de verdade o que foi o socialismo na China e na URSS. A burguesia faz toda uma propaganda pra falar que foi um fracasso, mas na verdade foi a obra mais grandiosa construída pelo homem até hoje. Então acho que seria importantíssimo ter matérias falando do grande salto em frent, da Grande Revolução Cultural Proletária na China, dos planos quinquenais e a construção do socialismo na URSS.

No mais, eu e meus amigos adoramos o jornal e sempre estamos discutindo suas matérias, principalmente as matérias do professor Fausto Arruda que desmascaram esse governo oportunista do Lula/FMI! Podem saber que por minha parte vocês têm todo apoio! Viva a imprensa popular e democrática!

Um grande abraço!

Apolinário-BH
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Guerrilheiros do Araguaia heróis do nosso povo

A Guerrilha do Araguaia foi um acontecimento marcante na história das lutas populares no Brasil. O povo tem o direito de saber que ela existiu, porque são lutas como esta que fazem o caráter de uma nação. Infelizmente, o Estado brasileiro parece não ter interesse em resgatar essa valorosa epopéia, ao recorrer da sentença da juíza federal Solange Salgado, que havia dado parecer favorável aos familiares dos guerrilheiros desaparecidos e formalizado um pedido oficial para que as Forças Armadas abrissem seus arquivos secretos e revelassem onde foram enterrados os corpos dos brasileiros que integraram a guerrilha. Esperamos que o filme Conspiração do silêncio, do cineasta Ronaldo Duque, sirva para trazer à tona a história da saga heróica do maior levante revolucionário deste país, ajude a fomentar debates e a pressionar o Estado para que reconheça oficialmente os guerrilheiros como heróis nacionais, e puna severamente os militares envolvidos em torturas e execuções arbitrárias cometidas contra os combatentes. Que o povo brasileiro não se esqueça jamais do nome dos valorosos jovens que tombaram na selva do Araguaia pela liberdade da pátria: Osvaldão, Maurício Grabois, Helenira Rezende, Dina, João Carlos Haas, Preto Chaves e tantos outros. Só seremos uma nação quando pudermos contar nossa própria história a partir da vida de nossos verdadeiros heróis.

Bruno Ribeiro dos Santos
Por e-mail

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza