PEC 215/2000: um ataque contra os povos indígenas

Conteúdo exclusivo para assinantes do jornal A Nova Democracia

Nas edições anteriores do AND, divulgamos as denúncias dos povos indígenas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215/2000, que é um incremento das políticas antipovo do velho Estado para atacar e impedir a demarcação dos Territórios Indígenas. A recente aprovação da proposta na comissão especial da câmara provocou nova onda de manifestações em todo o Brasil por parte dos povos indígenas.

Em Palmas (TO), na noite do dia 29/10, cerca de 200 indígenas ocuparam a Arena Verde — palco dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas — e interromperam as competições, manifestando-se, com cartazes e palavras de ordem, contra o genocídio indígena, a expropriação das terras ancestrais e a aprovação da PEC 215.

Na região metropolitana de Curitiba (PR), os povos indígenas Kaingang e Guarani-Mbyábloquearam, em 03/11, um trecho da BR-277, na altura de São José dos Pinhais, em protesto contra PEC 215, pelo fim do genocídio indígena e pela demarcação das terras tradicionais na região Sul do país.

No dia 04/11, em Brasília (DF), cerca de 20 índios Kayapós do Sul do Pará e Mato Grosso protestaram em frente à entrada principal da Câmara dos Deputados contra a aprovação da PEC. No mesmo dia, em Canarana (MT), indígenas do Parque Indígena do Xingu (PIX) também protestaram. Em Rio Branco (AC), indígenas de 16 diferentes povos ocuparam as ruas da capital do estado, terminando o ato na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

Em 05/11, em Manaus (AM), cerca de 200 indígenas realizaram manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Em Brasília, no dia 09/11, cerca de 200 indígenas bloquearam trecho da BR-40 protestando contra a aprovação da PEC e exigindo a demarcação de suas terras ancestrais, que estão paralisadas na gerência oportunista de Dilma/PT/pecedobê/PMDB.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro